Pesquisar

Canais

Serviços

Jonathan Campos/AEN
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Dia da Imunização

Vacina contra Covid-19: quem pode tomar e o que fazer depois da imunização

Heloisa Corso - Estagiária*
08 jun 2021 às 20:13
Continua depois da publicidade

Você já foi imunizado contra a Covid-19? A imunização ainda está distante de muitos brasileiros. Apenas 10,8% da população brasileira foi vacinada com as duas doses. Em Londrina, até as 23h de segunda-feira (7), 149.306 pessoas receberam a primeira dose da vacina e 85.810 já estão imunizados com as duas doses.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Diante desta realidade, o Dia Nacional da Imunização, celebrado neste dia 9 de junho, carrega um significado ainda maior. Com o objetivo de chamar a atenção para a importância da vacinação contra o coronavírus, principalmente neste segundo ano de pandemia, a data representa a esperança da volta à normalidade.

Continua depois da publicidade


De acordo com a professora do curso de enfermagem da Universidade Pitágoras Unopar Tatiane Almeida do Carmo, somente a vacinação em massa irá frear a proliferação da Covid-19. A professora explica que a vacinação é uma forma de proteger a si mesmo e todos em torno de você. "É um estímulo ao sistema imunológico para induzir a produção de anticorpos, que são as nossas defesas. As vacinas contêm partículas enfraquecidas ou inativadas de um determinado organismo, neste caso o vírus, que desencadeia a produção de anticorpos no nosso corpo”, apresenta.


Tatiane falou também sobre a "imunidade de rebanho”, termo utilizado dentro da infectologia para explicar o fenômeno no qual um grande percentual de indivíduos já imunizados contra o agente infeccioso interrompe a cadeia de proliferação do vírus. "Como qualquer doença infecciosa, essa imunidade pode ser realizada de duas formas: por meio da vacina ou de forma natural pela infecção da doença. Como já sabemos que a Covid-19 não confere uma imunidade permanente e a pessoa pode contrair a doença mais de uma vez, a melhor alternativa é optar pela vacinação”, ensina.

Continua depois da publicidade


A especialista alerta sobre a importância de o máximo de pessoas estarem imunizadas, pois há pessoas que não podem tomar a vacina. "Quem tem hipersensibilidade ou alergia ao princípio ativo ou qualquer componente na vacina está impedido de tomá-la. Quem ainda não completou 18 anos também, visto que ainda não foram realizados estudos nessa faixa etária”, esclarece.


TOMEI A VACINA, E AGORA?


Se você já tomou as duas doses da vacina contra a Covid-19 ainda não é o momento de relaxar nos cuidados. Durante uma live semanal, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, reforçou que o município vive o pior momento da pandemia. O índice de transmissão da doença aponta que cada 100 pessoas infectadas transmitem a doença para 114.


"A partir do momento que é aplicada a segunda dose da vacina, o indivíduo deve continuar tomando os devidos cuidados, uma vez que não está imunizado. Em primeiro lugar, é necessário que continue utilizando da máscara protetora, pois a imunização só acontece após 15 dias da aplicação da última dose”, reforça Tatiane.


Além disso, a professora afirma que a pessoa ainda pode apresentar os seguintes efeitos colaterais: dor no local da aplicação da vacina, dor de cabeça, dor no corpo, febre, fadiga, entre outros sintomas. De acordo com a enfermeira, não há nenhuma contra indicação quanto ao consumo de bebidas alcoólicas depois da vacinação e consumo de alimentos específicos.


E lembre-se: mesmo após a vacina, a infecção ainda pode ocorrer, visto que ela diminui o risco de casos graves e de transmissão, mas, não a infecção propriamente dita. "Por isso, enquanto apenas uma pequena parcela está vacinada, opte pelas medidas de contenção do coronavírus para a segurança de todos”, observa a enfermeira.

Supervisão: Fernanda Circhia – Editora On-line


Continue lendo