12/04/21
PUBLICIDADE
Saiba mais

Vacina da Johnson & Johnson é segura e eficaz, informa agência

Pixabay
Pixabay

A vacina anti-Covid desenvolvida pela Janssen-Cilag, laboratório belga que pertence à Johnson & Johnson, foi considerada segura e eficaz pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA), segundo relatório publicado nesta quarta-feira (24).

Conforme o documento, não há registros de problemas de segurança e a eficácia encontrada na prevenção da Covid-19 foi de 72% nos Estados Unidos e de 64% na África do Sul - um pouco diferente do que o anunciado pela empresa no segundo caso, que era de 57%.


Porém, o texto ressalta que ainda são necessários dados adicionais para verificar a questão dos casos leves - que também não foram divulgados à imprensa.

O relatório será usado como base na reunião do comitê médico independente da FDA da próxima sexta-feira (26) e, se os especialistas mantiverem o parecer favorável, a vacina deve receber a autorização para uso emergencial já no fim de semana.

A Johnson & Johnson divulgou em 29 de janeiro os seus dados preliminares dos resultados da fase 3 de testes clínicos. O imunizante desenvolvido pela Janssen, que é aplicado em dose única, apresentou uma eficácia de 66% nos casos moderados e graves da doença.

Porém, o documento não informou os números da eficácia global, ou seja, com dados de todos os casos sintomáticos registrados durante os testes com mais de 44 mil voluntários.

Outro ponto destacável do relatório é o fato da vacina ter apresentado números diferentes nas regiões testadas: nos EUA, a eficácia nos casos moderados e graves foi de 72%, na América Latina de 66% e na África do Sul de 57%. Neste último, o surgimento de uma variante mais transmissível pode ser o motivo da eficácia menor, mas de qualquer maneira acima do considerado aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que é de 50% de eficácia.

Além de aguardar a aprovação nos Estados Unidos, a J&J também já entrou com o pedido de registro na União Europeia. A farmacêutica fechou contrato para a entrega de milhões de doses tanto com o governo norte-americano (100 milhões) quanto com a UE (200 milhões com possibilidade de dobrar a quantidade).

A vacina usa um adenovírus de resfriado inativo para levar ao corpo orientações genéticas de como produzir a proteína spike, espécie de coroa de espinhos que o Sars-CoV-2 utiliza para atacar as células. Por usar um método mais tradicional de produção, o imunizante pode ser mantido em temperaturas de 2°C a 8°C, valores de uma geladeira comum.
Ansa Brasil
Continue lendo
Boletim diário

Londrina acumula 1.082 óbitos pela Covid-19 e 48.147 casos

11 ABR 2021 às 21h09
Boletim diário

Maringá tem 847 mortes e 39.487 casos de Covid-19

10 ABR 2021 às 19h00
13.779 casos

Com morte de gestante de 27 anos, Arapongas chega a 316 óbitos causados pelo novo coronavírus

10 ABR 2021 às 18h30
48.027 confirmados

Com mais 11 óbitos, Londrina atinge 1.076 em decorrência da Covid-19

10 ABR 2021 às 17h34
Ações amplas necessárias

Brasil não vai conseguir domar pandemia só com vacina, aponta OMS

10 ABR 2021 às 16h34
Boletim da saúde

Paraná tem 876.064 casos confirmados e 18.875 mortes por Covid-19

10 ABR 2021 às 16h06
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados