Pesquisar

Canais

Serviços

- Dorico da Silva/30-08-2004
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Fitoterapia tem reconhecimento mundial

14 mai 2007 às 17:28
Continua depois da publicidade

Nos dias atuais, raramente se contesta o valor e a eficácia dos tratamentos com plantas medicinais, seja de forma simples ou elaborada, no preparo doméstico ou farmacêutico. Prova disto, é o uso de fitofármacos (medicamentos extraídos de plantas medicinais) ser uma crescente, principalmente em países desenvolvidos, como a Alemanha, França, Espanha, Estados Unidos, etc..

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Para que obtenhamos uma quantidade suficiente de princípios ativos, em uso doméstico, devemos utilizar técnicas adequadas de preparo, seja para utilização interna ou externa (tópico).

Continua depois da publicidade


Falaremos hoje sobre os chás ou tisanas, que são técnicas de extração aquosa, ou seja, que se utilizam da água como veículo para o preparo adequado das plantas. Temos quatro maneiras principais:


n 1º- Sucos: Bater a planta com água em liqüidificador ou processador de alimentos. Utilizados principalmente na culinária, podendo porém ser úteis em tratamentos fitoterápicos, como é o caso da pectina (substância presente na maçã, pêra, laranja e berinjela), cuja ingestão é necessária para o efeito terapêutico desejado (auxílio no combate ao colesterol pela sua capacidade adsorvente);


n 2º - Infusão: Despejar água quente sobre as plantas e abafar por 10 minutos em média. A temperatura da água varia conforme a parte da planta e o que se deseja extrair – como regra geral: quanto mais delicada e mais cheirosa a planta, menor a temperatura. Deve ser consumido no mesmo dia. Usado para folhas, flores e sementes pequenas. Utilizar utensílios de louça, vidro ou plástico (evitar metais);

Continua depois da publicidade


n 3º - Decocção: Ferver a planta por alguns minutos. Usa-se a infusão para raízes, cascas, frutos e sementes maiores;


n 4º - Maceração: Esmagar a planta em água fria; é usada para plantas que se decompõem se fervidas, como por exemplo o boldo ‘peludo’ e o alho. As tisanas podem ser utilizadas por via oral ou para banhos, compressas e inalações, podendo servir também para o preparo de xaropes e cremes;


Xarope: - é obtido pelo espessamento da tisana com açúcar ou mel (melitos). Após o preparo, deve ser guardado em lugar fresco ou em


geladeira, e utilizado em no máximo uma semana.


Creme: - é obtido pelo espessamento da tisana com alguma substância cremosa, solúvel em água, como por exemplo a lanolina.


Lembramos, que as informações aqui contidas, terão apenas finalidade informativa, não devendo ser usadas para diagnosticar, tratar ou prevenir qualquer doença, e muito menos substituir os cuidados médicos adequados.

Rui Cépil Diniz


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade