Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

PIMENTA - Capsicum annuum

16 abr 2007 às 15:47
Continua depois da publicidade

Aspectos botânicos: Planta da família das Solanaceas. Planta anual ou bianual, nativa da América tropical, cultivada como hortaliça e condimento em todos os países tropicais e temperados. Altura média entre 30 e 90 cm, folhas acuminadas e alternas, flores brancas e pequenas, que originam um fruto de cor variável, inicialmente verde e passando ao amarelo ou vermelho.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Nomes comuns: Pimenta, caiena, ají, cápsico, Chile, guindilla, spanish piper, pimenta espanhola, pimenta vermelha, pipper red ou hot pepper (Ingl), páprica (Hungria), peperone (Itália), Pimentão (Port);

Continua depois da publicidade


Histórico: O conhecimento da pimenta na Europa, iniciou-se por volta de 1494, após a segunda viagem da frota de colón às Américas, por recomendação dos nativos que a utilizavam na culinária e como planta medicinal. Foi introduzida na Hungria no século XVI, país de maior consumo da ''páprica''.


Usos terapêuticos: Seu principal uso é nos casos de dores músculo-esqueléticas crônicas, onde os efeitos colaterais dos anti-inflamatórios, hormonais ou não, fazem com que seu uso seja questionado. O uso tópico da pimenta pode ser associado aos anti-inflamatórios vegetais sistêmicos, como a ''unha de gato'' e a ''garra do diabo''. Dores articulares, nevralgia, gota, lombalgia, dispepsia, gastrites agudas, estimulante da circulação sanguínea e da digestão, fitocosmético para queda de cabelos.


Princípios ativos: Óleos essenciais (até 2,6%), capsaicina (0,01 a 0,22%), carotenóides, vitaminas, flavonóides, proteínas, açúcares, ácidos orgânicos. As sementes contém óleo (10 a 15%) e uma mistura de saponinas esteróides denominada capsicidina;

Continua depois da publicidade


Partes utilizadas: Fruto fresco ou seco. O que se conhece por ''Chile'' é a forma seca e em pó da pimenta;


Formas de uso e dosagem:


- Uso interno: Como condimento, fresco ou desidratado; infuso ou decocto a 01%: 50 a 200 ml por dia; extrato fluido: 1 a 5 ml ao dia; tintura: 5 a 25 ml ao dia (200 g de frutos e 01 litro de álcool); xarope: 20 a 100 ml ao dia; cápsulas: 0,3 a 01 g de pó ao dia;


- Uso externo: Óleos e emulsões para massagens: até 5% de extrato fluido, 1,5% de óleo-resina ou 0,25% de capsaicina; xampus e loções capilares: até 5% de extrato fluido ou 0,25% de capsaicina.


Tempo de uso: Até 06 meses de uso continuado.


Efeitos colaterais: Pode causar irritação na pele, mucosas e nos olhos, com toxicidade sub-crônica e até mutagenicidade. Seu uso externo prolongado pode provocar dermatites, bolhas e até úlceras de pele; Em dosagens excessivas, pode causar taquicardia, aumento da pressão arterial e inflamações crônicas das mucosas gastro-intestinais.


Contra-indicações: As folhas da pimenta apresentaram um efeito útero-estimulante. Apesar deste efeito não ter sido demonstrado com os frutos, seu uso deve ser preventivamente desaconselhado durante a gravidez. O uso deve ser cauteloso durante a amamentação, pois se desconhece se a capsaicina passa pelo leite materno;.


Lembramos, que as informações aqui contidas, terão apenas finalidade informativa, não devendo ser usadas para diagnosticar, tratar ou prevenir qualquer doença, e muito menos substituir os cuidados médicos adequados.


Fontes principais de consulta: ''Herbarium compêndio de fitoterapia'' / Magrid Teske; Anny Margaly Maciel Trentini. 4. ed. Curitiba. ''Tratado de fitomedicina - bases clínicas e farmacológicas'' Dr. Jorge R. Alonso - Editora Isis. 1998 - Buenos Aires - Argentina.


Rui Cépil Diniz


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade