Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Má-alimentação

3,5 milhões de crianças são hipertensas

Redação Folha de Londrina
21 abr 2007 às 12:55
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A hipertensão arterial foi um dos assuntos em discussão no 35º Congresso Paranaense de Cardiologia, que terminou nesta sexta-feira (20), em Maringá (PR). Um trabalho apresentado trata, por exemplo, da pressão alta nas crianças, cuja incidência chega a 3,5 milhões. O assunto é alvo inclusive da Campanha Nacional de Prevenção à Doença, que acontece no próximo dia 26, e que nesta edição terá o tema Hipertensão: é cedo que se previne.

De acordo com o autor do trabalho apresentado no Congresso, que reúne especialistas de todo o país, Hélcio Giffhorn, da Pontífice Universidade Católica do Paraná (PUC), os erros alimentares constituem a maior causa do aumento da pressão.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Neste trabalho foram acompanhadas 13 crianças em tratamento no ambulatório de cardiologia pediátrica. Essa pesquisa mostrou que houve redução da pressão arterial somente com a diminuição do consumo de sal em 11 dos 13 casos.
No público infanto-juvenil, a hipertensão está geralmente associada à má-alimentação e ao sedentarismo. Por isso, advertem os especialistas no Congresso, é importante promover a conscientização dos jovens, alertando-os para as consequências futuras da doença.

Leia mais:

Imagem de destaque
Gesto de amor

Banco de sangue do HV da UEL precisa de doadores

Imagem de destaque
Feng Shui

Como criar um ambiente mais saudável para seus filhos

Imagem de destaque
149 casos ativos

Londrina registra 11 casos de Covid-19 neste sábado e nenhum óbito

Imagem de destaque
26 novos casos

Londrina acumula 129.924 casos e 2.485 óbitos pela Covid-19


A hipertensão está presente em 5% dos 70 milhões de crianças e adolescentes no Brasil. São 3,5 milhões de crianças e adolescentes que precisam de tratamento. Diversos estudos levantaram a prevalência da hipertensão juvenil. No Rio de Janeiro ela está em torno de 7%. Em Belo Horizonte e Florianópolis, ela é de 12%. Em Salvador 4% das crianças e adolescentes tem hipertensão arterial.

Dados do Ministério da Saúde relativos a 2003, ano da última atualização, revelam que as doenças cardiovasculares foram responsáveis pela morte de 274 mil brasileiros, o dobro de mortes por todos os tipos de câncer. Isso representa 31,5% dos óbitos na população brasileira. Entre os fatores de risco para a mortalidade, a hipertensão é responsável por 40% das mortes por Acidente Vascular Cerebral (AVC) e 25% daquelas por doença coronariana. A hipertensão contribui, direta ou indiretamente, com 46% de todas as causas de morte, por todas as idades.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade