Pesquisar

Canais

Serviços

A grande maioria dos homens atinge o orgasmo em média seis minutos após a penetração, diz especialista. - Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Mitos e verdades

Ansiedade é a principal causa da ejaculação precoce?

Sexo&Comportamento-Folha de Londrina
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A ejaculação precoce é um distúrbio que aflige um contingente grande de indivíduos. No conceito atual, ejaculador precoce é o homem que teve a ejaculação mesmo antes da penetração ou imediatamente após a mesma, de modo que impeça a satisfação do casal. A grande maioria dos homens atinge o orgasmo em média seis minutos após a penetração, podendo variar de três até 15 minutos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Ansiedade é a principal causa da ejaculação precoce. Isso se origina na conotação de sexualidade que é dada ao adolescente. A sexualidade na maioria das vezes é tratada como proibida. A iniciação sexual, como a masturbação, é realizada no banheiro ou quarto com a porta fechada e sempre com a sensação de que alguém pode chegar e surpreender aquele ato proibido. Dessa forma, quanto mais rápido o orgasmo, melhor, porque diminui a probabilidade de ser surpreendido no ''delito''. As primeiras relações sexuais muitas vezes são proibidas e ocorrem na sala da ''sogra'', no banco do carro, ou com uma prostituta, o que ainda valoriza o orgasmo rápido.

Continua depois da publicidade


Porém, quando o homem passa a ter um relacionamento estável, descobre-se que o importante não é só o seu prazer, mas também o de sua parceira. Ele muitas vezes não está familiarizado com a sensação de excitação pré-orgásmica e aí ejacula precocemente. Com a ansiedade, o quadro pode se agravar.


A primeira medida para tratar o distúrbio é a desmistificação. É importante esclarecer o que é o normal e informar que, dependendo da ansiedade do dia-a-dia, o indivíduo poderá experimentar ejaculação precoce ou até dificuldade para ereção, sem que isto seja um problema.


Drogas, como antidepressivos, que aumentam os níveis de serotonina como fluoxetina, paroxetina, podem ser úteis, mas o seu uso deve ser diário. Medicações que melhoram a qualidade da ereção não ajudam no tratamento da ejaculação precoce. Cirurgias, como a retirada do prepúcio e a denervação do pênis, não são recomendadas por não ter respaldo científico e não atuar no problema.

Continua depois da publicidade

Horácio A. Moreira, urologista


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade