Bonde - O Maior Portal do Paraná
Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014. | Bem-vindo usuário! Faça login ou cadastre-se.
27º / 22º Londrina - PR Outras Cidades Google Twitter Whatsapp - (43) 9124-1630 Facebook Youtube - Vídeos
Saúde
14/11/2008 -- 20:42

O que fazer para amenizar a dermatite no rosto?

Sua Saúde/Folha de Londrina
QR:
Add to Flipboard Magazine.

A dermatite seborréica é uma das dermatites mais frequentes em face. É crônica, geralmente recorrente e não contagiosa. Ocorre em regiões com muitas glândulas sebáceas tais como couro cabeludo, face, regiões retroauriculares e peitoral, e às vezes em áreas de dobras. Caracteriza-se por uma inflamação das camadas mais superficiais da pele. Costuma haver predisposição familiar e em geral piora no inverno.

No adulto pode se manifestar sob a forma de lesões avermelhadas, com ou sem coceira, que descamam, atingindo o couro cabeludo (caspa), face e a área atrás das orelhas. Pode também acometer as regiões das axilas, genitália e tronco.

No lactente surge geralmente nas primeiras semanas de vida. São observadas lesões descamativas, amareladas, grudentas, inicialmente no couro cabeludo (crosta láctea), e posteriormente podendo comprometer as áreas já citadas nos adultos.

A dermatite seborréica deve ser diferenciada de micoses, psoríase, dermatite de contato e rosácea.

No couro cabeludo dos recém-nascidos pode-se friccionar o ácido salicílico dissolvido em óleo mineral com uma escova de dentes diariamente. Nos adultos utiliza-se um shampoo contendo piritionato de zinco, sulfeto de selênio, ácido salicílico, piroctone olamina, octopirox ou alcatrão, dependendo da gravidade do quadro. É importante evitar estresse, banhos quentes e condicionador de cabelo. Em casos mais resistentes, é necessário o uso de shampoo ou solução capilar contendo corticóide.

Cremes de corticóide de baixa potência podem ser aplicados sobre a pele, evitando os mais potentes e seus efeitos colaterais como a atrofia e o surgimento de vasos sanguíneos. Quando esta terapia isolada não é suficiente, um antifúngico tópico pode ser associado. Em casos muito resistentes, um antifúngico oral também pode ser utilizado, e para a manutenção, o ideal são os cremes imunomoduladores como tacrolimo e pimecrolimo.

Leandro Neme, dermatologista
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 25/11/2014 23:50
PUBLICIDADE
Carregando ...
PUBLICIDADE
 
PUBLICIDADE