12/12/19
35º/23ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Sylvio do Amaral Schreiner
Sylvio do Amaral Schreiner
01/11/2019 - 10:16
Imprimir Comunicar erro mais opções

Sou uma enfermeira particular e cuido de pessoas idosas e geralmente em estado terminal. Sou sozinha, nunca me casei e muitas vezes convivo mais com os idosos com quem trabalho do que com pessoas do meu círculo e idade. Sou religiosa e antigamente acreditava em deus e em sua misericórdia para conosco. Rezava com freqüência, mas ultimamente acho que perdi completamente a fé. Não acredito em mais nada e estou passando a acreditar que os ateus estão certos em afirmar que nada existe. Mas é muito ruim me sentir assim. A minha pergunta é: será que é possível acreditar em algo que possa me deixar feliz? Será que é possível preencher esse vazio que me oprime com alguma coisa, mas que não me faça cair no engano de que deus vai cuidar de mim?

Você tem um trabalho duro: cuidar de idosos em estado terminal. Convive com muitas dores, sofrimentos e sentimentos de dúvida em relação à vida. Provavelmente se encontra contaminada pelo desânimo e pela falta de esperança. Antes havia a ideia de deus para te trazer algum conforto, mas agora isso mudou e faz você se sentir perdida.

Para complicar ainda mais a situação você sofre de solidão. Há poucos vínculos saudáveis e alegres que possam te animar e trazer vitalidade para viver. As suas ligações com as pessoas que necessitam de cuidados são tênues e pesadas. Não favorecem a alegria que tanto te falta, mas te convidam ao estado de luto permanente. Quando o luto persiste além da conta a vida perde o seu melhor.

Só que nem tudo é tempo ruim. Parece que o sentimento de esperança enfraqueceu em você, mas não morreu. Tal como brasa que precisa de um sopro para acender, você precisa de algo para acreditar e poder se encantar e se animar. O que te falta acreditar é saber que a sua vida pode ser fonte de felicidade.

Ninguém vai e ninguém pode tomar conta da sua vida. Essa é uma tarefa que só cabe a você. Afinal, só você pode saber do seu caminho e qual a melhor maneira de trilhá-lo. A vida, certamente, tem muitos sofrimentos, mas pode ser encantadora e surpreendente. Precisa se permitir ver a vida de outro ponto de vista. Não há só uma única perspectiva, mas várias. Encontrar e desenvolver a sua é o melhor caminho que poderá pegar. Em outras palavras, você precisa aprender que a vida traz outras possibilidades que não apenas o luto. Procure ajuda de um analista que saiba te escutar para você aprender a se ouvir e construir internamente algo mais saudável a que se apegar.
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Sylvio do Amaral Schreiner
 
No blog Mundo Vivo o psicoterapeuta Sylvio do Amaral Schreiner convida o leitor a refletir sobre questões que afligem e maravilham as pessoas. Por meio de artigos pertinentes e atuais, podemos discutir sobre tudo e, com isso, enriquecer nossa sabedoria – lembrando que sabedoria e conhecimento são coisas diferentes. Conhecimento é TER, sabedoria é SER. Esperamos que este seja um espaço para a sabedoria vir a morar, se modificar e evoluir.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE