Pesquisar

Canais

Serviços

- Arquivo pessoal - Oficina Londrina
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Oficina Londrina

Como cuidar da relação da sua moto

14 mar 2019 às 12:11
Continua depois da publicidade

Você cuida da relação da sua moto? Não é incomum de ver por aí, uma moto parada, com o piloto sujando as mãos de graxa tentando colocar a corrente da moto no lugar. É gira a roda traseira, tenta encaixar, às vezes até encaixa mas na primeira curva, lá está a corrente pulando pra fora da coroa de novo.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Se isso aconteceu, há duas hipóteses para esta causa. Uma pode ser um desalinhamento da roda traseira, o que é menos comum, ou a falta de manutenção.

Continua depois da publicidade


Eliminando a hipótese do desalinhamento, que é menos comum, entra a manutenção. Vamos ver então o que deve ser feito para evitar isso.


Relação folgada?


O primeiro ponto que deve ser visto é quanto à folga da corrente. Uma corrente não pode estar folgada demais, a ponto de sair facilmente da coroa.

Continua depois da publicidade


A maneira de verificar esta folga é através do tato, sujando a mão mesmo, com a moto livre de carga. Esta folga existe porque a medida que a suspensão trabalha, a corrente fica mais ou menos esticada, conforme copia o terreno. Por isso, no manual do proprietário da motocicleta, sempre nas páginas relacionadas à manutenção, lá está a folga ideal para a sua moto.


Deixar muito esticada também, pode trazer problemas. Já vi casos em que o motociclista deixava a corrente como uma corda de violão. Isso aumenta consideravelmente o desgaste, deixa a moto ruim de pilotar, além do risco da corrente se romper e causar um acidente.


Lubrifique a corrente


Após verificar a folga, faça a lubrificação do sistema. Se a corrente estiver limpa, tudo fica mais simples. Basta utilizar um óleo 90, ou uma graxa náutica (ou graxa branca) e acelerar. Caso a corrente esteja suja, o ideal é fazer a limpeza.


Para limpar o sistema, o ideal é utilizar querosene. Deve se retirar todo o óleo ou a graxa velha para refazer a lubrificação. Se a moto foi lavada em lava-rápido, provavelmente a corrente foi limpa a base de produtos químicos, então, é importante que a corrente seja lubrificada logo, para evitar as oxidações.


Com a corrente limpa, o usuário pode escolher o que é melhor pra cada um. A graxa branca é uma opção barata é fácil de aplicar. Não suja tanto a roda e tem boa durabilidade. O lado negativo é que as sujeiras grudam nesta graxa, o que faz ela virar uma pasta abrasiva. Caso você rode muito por estradas não pavimentadas, está pode não ser a melhor opção.


O óleo é uma ótima opção, principalmente o de viscosidade 90. Este adere bem na corrente e faz um bom papel. Por outro lado, ele costuma sujar a moto e dura menos que a graxa. Deve-se tomar cuidado também com os excessos, pois óleo demais pode sujar o pneu traseiro, causando uma falta de aderência e até mesmo um acidente.


Existem também as graças em spray. São excelentes, fáceis de aplicar, não sujam a roda e duram muito, porém, o preço é salgado. Passam facilmente dos 50 reais.


Caso você opte por retirar a corrente para fazer a limpeza (em algumas motos isso é possível), será necessário fazer a regulagem da folga novamente.


O sistema está alinhado?


Bem, para a primeira hipótese, o que deve ser verificado é se a moto sofreu alguma queda ou impacto. Isso, somente um especialista poderá verificar, já que um pequeno desalinhamento no chassis ou balança poderá causar o problema.


A roda pode ter sofrido avarias também, por causa de uma pedra ou buraco na pista. Verificar o alinhamento e a concentricidade do cubo com a roda é importante.


Pode ser algo mais simples também, como a montagem errada da roda traseira, o que pode acontecer, caso o pneu tenha sido trocado ou algo assim. Neste caso, basta fazer o alinhamento observando as marcas da balança traseira, ou no caso de motos off-road, as numerações nas arruelas excêntricas.


E quanto dura uma relação?


Uma relação bem cuidada, passa facilmente dos 30 mil quilômetros. Mas é necessário ver alguns detalhes. Sentir se há uma ovalização da coroa, se a corrente está ficando folgada mesmo nas últimas regulagens, ou até mesmo se há algum dente quebrado no pinhão. Verifique também a espessura dos dentes da coroa, estes serão os sinais que mostrarão se está ou não na hora de trocar a relação.


Arquivo pessoal - Oficina Londrina
Arquivo pessoal - Oficina Londrina


Lembre-se, fazer a manutenção da sua moto é uma atitude de segurança, e pode evitar muitos acidentes. Existem economias que não valem a pena!

Siga nossa página no Facebook
Siga-nos no Instagram


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade