Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Londrina está na fila

Arapongas e outras 4 cidades do Paraná esperam receber título de Capital Nacional

Simoni Saris - Grupo Folha
05 dez 2023 às 08:25
- Roberto Dziura Jr./AEN
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A partir de julho de 1975, quando a geada negra devastou os cafezais do Norte paranaense, os municípios da região que tinham a sua economia sustentada na produção do grão foram obrigados a buscar outra vocação econômica. 


Em muitas cidades, o “ouro verde” cedeu lugar ao plantio de novas culturas, como trigo, soja e milho, mas houve municípios que investiram na indústria para formar a sua nova base socioeconômica.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Foi assim que Arapongas, na Região Metropolitana de Londrina, fortaleceu a sua indústria moveleira e conquistou relevância nacional no setor. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Edição especial

Feira que reúne brechós e artesanatos de Londrina tem sua 30° edição neste sábado

Imagem de destaque
Saiba mais

Mulheres são maioria dos candidatos no Enem dos Concursos, diz ministério

Imagem de destaque
PRAZO DE 10 MESES

Obras de construção da UPA zona sul começaram; previsão de entrega é novembro

Imagem de destaque
CONJUNTO CAFEZAL

Trecho com erosão na Estrada da Pedreira é interditado pela Prefeitura de Londrina


A importância do município na fabricação de móveis acaba de ser reconhecida com a sua oficialização como Capital Moveleira Nacional, título concedido pelo governo federal no último dia 23 de novembro, a partir da publicação da Lei 14.728/2023, resultado de projeto de lei que tramitou no Congresso Nacional.

Publicidade


Com 119 mil habitantes, Arapongas tem na indústria de móveis sua principal força econômica. De acordo com o Sima (Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas), o polo engloba 42 municípios da região e representa 10% de toda a produção nacional de móveis. 


No total, são 1.009 empresas na região, sendo que só Arapongas abriga 37%, totalizando 376 plantas industriais. Toda a cadeia emprega 19,5 mil pessoas nos 42 municípios, sendo 64,6% dessas vagas somente em Arapongas, totalizando 12,6 mil postos de trabalho no município.

Publicidade


"Esse título de Capital Moveleira Nacional era uma aspiração antiga nossa que valoriza não só o nosso volume de produção, mas também a qualidade dos nossos móveis, que são produzidos com preocupação ecológica", destacou o presidente do Sima, José Lopes Aquino.


O polo moveleiro de Arapongas representa 12% do volume total exportado pelo Brasil, segundo o sindicato. O destino varia de 40 a 60 países, dependendo do momento do ano. América Latina, Estados Unidos, Europa, Ásia, Oriente Médio e África são os destinos da produção moveleira araponguense. 

Publicidade


"Com esse título teremos mais credibilidade e visibilidade para buscarmos novos clientes no exterior", avaliou Aquino.


LEIS FEDERAIS

Publicidade


Desde 2006, a oficialização de municípios brasileiros como “capitais nacionais” de algum produto, atividade econômica ou evento histórico, cultural e esportivo é feita por meio de leis federais. 


A primeira delas foi Passo Fundo (RS), declarada Capital Nacional da Literatura. A cidade sedia, desde 1981, a Jornada Nacional de Literatura.

Publicidade


Depois do município gaúcho, dezenas de cidades brasileiras já conquistaram um título dessa natureza e outras dezenas estão na fila, com projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional, à espera da oficialização. 


O desejo pelo reconhecimento se fundamenta não apenas no fato de a concessão do título ser um motivo de orgulho para os municípios, reforçando a identidade de suas populações, mas também por se tornar um atrativo turístico e econômico.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Cidades do Paraná esperam título de Capital Nacional
Reconhecida por sua produção moveleira, Arapongas é o nono município do Paraná a deter o título de capital nacional; outros 4 estão na fila
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade