Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Até 2023

IBGE mostra que 27,4% da população brasileira de 5 anos ou mais teve Covid

Leonardo Vieceli - Folhapress
24 mai 2024 às 10:55
- Uenp
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Até o primeiro trimestre de 2023, 55 milhões de pessoas de cinco anos ou mais de idade tiveram Covid-19 confirmada pelo menos uma vez por meio de teste ou diagnóstico médico no Brasil, estimou nesta sexta-feira (24) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Região metropolitana

Chuvas e alagamentos voltam a preocupar moradores da área de risco de Porto Alegre

Imagem de destaque
Ato criminoso

Conheça os perigos e riscos de soltar balões; fabricação ou soltura pode dar multa e até cadeia

Imagem de destaque
Patrimônio histórico ameaçado

Entenda como santos são roubados de igrejas mineiras e traficados para fora do país

Imagem de destaque
Falta de recursos

Crise com demissões e redução de horários no Inmet ameaça previsão climática

O contingente equivale a 27,4% da população total nessa faixa etária (200,5 milhões), ou quase 3 em cada 10 pessoas. Os dados integram um módulo da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) sobre a Covid-19.

Publicidade


De acordo com o IBGE, as estatísticas têm diferenças em relação a números do Ministério da Saúde porque parte dos casos pode não ter sido notificada nos sistemas oficiais. Os resultados do instituto se baseiam nas entrevistas da amostra da Pnad, que visita em torno de 210 mil domicílios no país.


O IBGE afirma que a região Centro-Oeste teve o maior percentual da população de cinco anos ou mais com casos de Covid-19 confirmados por testes ou diagnósticos médicos até o primeiro trimestre de 2023: 34,6%.

Publicidade


Sul (33,9%), Sudeste (30,4%) e Norte (23,9%) vieram na sequência. O Nordeste, por sua vez, teve a menor proporção: 18,4%.


NÍVEL DE INTERNAÇÕES CAI CONFORME AUMENTA VACINAÇÃO

Publicidade


O instituto também perguntou se a população de cinco anos ou mais considera que teve Covid-19 em alguma ocasião na qual não houve confirmação da doença por teste ou diagnóstico médico.


Essa informação, diz o IBGE, possui um grau de imprecisão, mas se faz necessária porque parte das pessoas pode não ter tido acesso à testagem e aos serviços de saúde -ou não ter procurado atendimento.

Publicidade


A partir dessa consulta, o IBGE chegou a uma estimativa de 68,8 milhões de pessoas que tiveram Covid-19 ou que consideram que desenvolveram o quadro até o primeiro trimestre de 2023.


Desse contingente, uma parcela de 4,2% (ou 2,9 milhões) apresentou sintomas e foi internada na primeira vez da doença, aponta o instituto.

Publicidade


O percentual de hospitalizações foi maior entre as pessoas que não se vacinaram: 5,1%. É o dobro da proporção de internações entre aquelas que tomaram duas doses ou mais do imunizante: 2,5%.


Para a parcela com apenas uma dose, o patamar de hospitalizações ficou em 3,9%.

Publicidade


Ao longo da pandemia, a imunização foi recomendada por especialistas como forma de frear o coronavírus e reduzir os casos mais graves da doença.


CANSAÇO OU FADIGA É PRINCIPAL SINTOMA DE COVID LONGA


Entre as pessoas que tiveram ou consideram ter tido Covid-19, o IBGE investigou a persistência ou o surgimento de sintomas após 30 dias da infecção. Situações assim costumam ser chamadas de Covid longa.


A permanência ou o surgimento de sintomas após 30 dias foi apontado por 23% das pessoas de cinco anos ou mais que tiveram Covid-19 ou que consideram ter desenvolvido o quadro.


Entre a população que declarou sintomas recorrentes ou persistentes após a infecção, cansaço ou fadiga foi o mais citado: 39,1%.


Outros episódios comuns foram perda ou alteração de olfato e paladar (28,8%); dor no corpo, nos músculos ou nas articulações (28,3%); e problema de memória/atenção ou dificuldade na fala (27,1%).


Falta de ar ou dificuldade para respirar (21,6%) e dor de cabeça (20,1%) também registraram patamares acima de 20%.


Tosse (17,4%), insônia, ansiedade ou depressão (9,7%), febre (8%), outros (8%), problemas cardíacos (5,3%) e queda de cabelo (4,2%) completaram a lista apresentada pelo IBGE.


O órgão se baseou na percepção pessoal dos informantes. Não houve necessidade de confirmação da existência dos sintomas por médico, segundo o instituto.


Imagem
5,7 milhões de crianças e jovens não foram vacinados contra Covid até início de 2023, diz IBGE
Até o primeiro trimestre de 2023, 5,7 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos não foram vacinados contra a Covid-19 no Brasil, indicam dados divulgados nesta sexta-feira (24) pelo IBGE
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade