Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Envio de mantimentos

Cães e bombeiros do Paraná embarcam para o Rio Grande do Sul para ajudar em buscas por vítimas

Redação Bonde com AEN
19 mai 2024 às 18:30
- Divulgação/CBMPR
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Paraná segue prestando o apoio ao Rio Grande do Sul com o envio de equipes e mantimentos para atender as vítimas das chuvas que atingiram a região. 


Neste domingo (19), uma equipe do Corpo de Bombeiros composta por três bombeiros e dois cães embarcou com destino à região serrana do Vale do Taquari onde foram registrados deslizamentos de terra.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Os binômios, que é como são chamadas as duplas compostas pelo cão e pelo bombeiro, vão trabalhar na busca por pessoas desaparecidas em algumas das áreas mais afetadas pelas chuvas.

Leia mais:

Imagem de destaque
Prazo vai até o dia 14

Veja como fazer a inscrição para o Enem 2024

Imagem de destaque
Saiba mais

El Niño chega ao fim e La Niña deve se formar no país até setembro; entenda

Imagem de destaque
Da Conab

PF e CGU investigam possíveis irregularidades no leilão de arroz

Imagem de destaque
Tragédia

Polícia indicia 7 funcionários e Cobasi por morte de animais em lojas inundadas em Porto Alegre


“São áreas onde a água já baixou, mas há muita lama, terra e escombros. Os animais têm a mobilidade necessária de se deslocar com mais facilidade por este terreno e de identificar, pelo odor, onde há vítimas”, afirmou o comandante do Canil Central do Corpo de Bombeiros, tenente Daniel Kaneko Leal.

Publicidade


Eva e Skull, os dois cães enviados, são treinados desde filhotes para fazer este tipo de busca. Os dois também contam com as certificações necessárias para atuar em desastres com deslizamento de terra. 


Atualmente, o Corpo de Bombeiros do Paraná tem seis animais treinados e certificados para este tipo de ocorrência.

Publicidade


Imagem
Londrinenses relatam rotina de trabalho em meio à tragédia no RS
Nos últimos dias, o mundo voltou os olhos para o Rio Grande do Sul. Até o momento, as cheias afetaram mais de 90% dos municípios


“São animais que trabalham em dupla com seus condutores. Eles têm um vínculo muito forte, que ajuda neste tipo de trabalho tenso e difícil. São animais que já passaram por várias provas e testes para se preparar pra este tipo de busca. Com toda a certeza eles vão ajudar muito nas buscas pelo treinamento que têm e pela capacidade olfativa”, explicou o comandante.


A previsão é que a equipe fique no Rio Grande do Sul cerca de uma semana. Caso seja necessário continuar com os trabalhos, deve haver um revezamento dos binômios do Paraná. 

Publicidade


“Depois de um tempo, estes animais precisam voltar para descansar. Mas conforme for necessário, enviaremos novos binômios para seguir nas buscas”, disse.


BALANÇO 


De acordo com o governo do Rio Grande do Sul, 463 municípios gaúchos tiveram estragos registrados decorrentes das chuvas. Segundo o boletim divulgado pelo governo gaúcho neste domingo, 76.955 pessoas estão em abrigos e 540.633 estão desalojadas. 


Ao todo, 155 pessoas morreram, 89 estão desaparecidas e 806 se feriram.


Imagem
MPT recebe denúncias de violações trabalhistas envolvendo enchentes
Mesmo com cidades debaixo d’água, algumas empresas têm obrigado funcionários a trabalhar em áreas alagadas no Rio Gra
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade