Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entenda o caso!

Funcionária processa empresa por demissão, mas acaba pagando R$ 100 mil

UOL/Folhapress
10 abr 2024 às 14:45
- Reprodução/Canva
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma ex-gerente de um posto de gasolina em Anápolis (GO) entrou na Justiça após ser demitida e acabou precisando assinar um acordo para pagar R$ 100.252,00 à empresa.


O QUE ACONTECEU

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Pagamento foi determinado após acordo entre advogados da mulher e do posto. A ex-funcionária também vai prestar 150 horas de serviço comunitário, segundo acordo judicial à qual a reportagem teve acesso.

Leia mais:

Imagem de destaque
LGBTfobia

Casais homoafetivos ainda enfrentam dificuldades e preconceitos para adotar crianças

Imagem de destaque
Santuário dos Elefantes

Elefanta de 52 anos morre por eutanásia após não querer mais se levantar

Imagem de destaque
Brasil

Desemprego tem alta em oito estados no 1º trimestre, diz IBGE

Imagem de destaque
Dados do IBGE

Taxa de alfabetização cresce mais no Nordeste, mas ainda é a menor do Brasil

Mulher acionou a Justiça alegando acúmulo de função, assédio e danos morais. Ela afirmou que passou a ser "perseguida" após a empresa detectar desvios de R$ 217,314,08.

Publicidade

Fraudes teriam ocorrido entre 2020 e 2022. Elas eram cometidas com a inclusão de vendas fictícias de cartão de crédito no sistema da empresa e saque de dinheiro em espécie do mesmo valor no caixa do posto. A defesa do posto alegou que o crime motivou a demissão.

Imagem
Polícia Rodoviária Federal recupera veículo furtado 15 minutos após o crime em Londrina
Em Londrina, PRF (Polícia Rodoviária Federal) recuperou um veículo furtado de um estacionamento de supermercado 15 minutos após o crime. A recuperação aconteceu na noite desta terça-feira (9).


Ex-funcionária chegou a se oferecer para pagar dinheiro desviado, disse dono do posto à polícia. Ele contou que desconfiou da incompatibilidade nos valores e pediu que funcionários observassem os lançamentos no caixa. Desconfiada da investigação interna, a gerente teria se oferecido para devolver valor sem envolver a polícia.

Pagamento será feito em 142 parcelas. A última delas está prevista para 15 de fevereiro de 2036. Cada uma terá o valor de meio salário mínimo na data vigente. nesta quarta-feira (10), o valor soma mais de R$ 100 mil.

A reportagem entrou em contato com a ex-funcionária para dar direito à defesa dela. Não houve retorno sobre o assunto até o momento. O espaço será atualizado tão logo haja posicionamento.


Imagem
Em Londrina, homem diz ter comprado caixas de verdura no marketplace e acaba preso por receptação
Em Londrina, um homem de 18 anos foi preso pelo crime de receptação ao ser avistado com 87 caixas de hortifruti que foram roubadas de uma empresa no Ceasa de Maringá, no Noroeste do Estado.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade