12/05/21
PUBLICIDADE
Caso Henry

Violência mata mais de 103 mil crianças e adolescentes no Brasil

Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Marcello Casal Jr/ Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Entre 2010 e 2020, pelo menos 103.149 crianças e adolescentes com idades de até 19 anos morreram no Brasil, alvos de agressão, segundo levantamento divulgado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Acrescentou que, do total, cerca de 2 mil crianças atingidas tinham menos de 4 anos.


Apesar de os dados relativos a 2020 ainda serem preliminares, a SBP informou que, segundo especialistas consultados, o isolamento social, medida "essencial para conter a pandemia do novo coronavírus”, resultou em aumento da exposição das crianças a uma "maior incidência de violência doméstica”, o que, consequentemente, elevou também os casos letais.

Segundo o presidente do Departamento Científico de Segurança da SBP, Marco Gama, o estresse causado pela pandemia aumentou a probabilidade de as crianças serem alvos de violência, além de causar prejuízos do ponto de vista da saúde física e mental.

No entanto, disse ele, independentemente da pandemia, os casos de violência contra crianças e adolescentes sempre existiram, principalmente em ambiente doméstico ou intrafamiliar. A SBP acrescenta que, só em março de 2020, foi registrado, no Brasil, um aumento de 17% no número de ligações notificando a violência contra a mulher.

Morte de Henry deve ser apurada
"O caso do menino Henry [Henry Borel, cuja morte, no Rio de Janeiro, é investigada tendo como suspeitos o padrasto e a mãe] não pode ser ignorado e deve ser apurado com todo o rigor que a lei exige. Tal barbárie deve alertar, ainda, para a existência de outras crianças e famílias que vivem dramas semelhantes”, alertou, por meio de nota, a presidente da SBP, Luciana Rodrigues Silva.

A entidade acrescentou que estudos científicos e a prática dos profissionais que lidam com a infância e a adolescência indicam que tratamento humilhante, castigos físicos e qualquer conduta que ameace ou ridicularize a criança ou o adolescente, quando não letais, podem ser extremamente danosos à sua formação de personalidade e como indivíduos para a sociedade, bem como interferem negativamente na construção da sua potencialidade de lutar pela vida e no seu equilíbrio psicossocial. "Nascer e crescer em um ambiente sem violência é imprescindível para que uma criança tenha a garantia de uma vida saudável, tanto física quanto emocional”, conclui a presidente da entidade.
Agência Brasil
PUBLICIDADE
Continue lendo
Recomendação da Anvisa

Saúde suspende vacinação com o imunizante da AstraZeneca em gestantes

11 MAI 2021 às 18h35
Operações violentas

Polícia pode entrar em casas para perseguir fugitivo, mas só se tiver indícios

11 MAI 2021 às 17h45
Representatividade

Maringá organiza live de enfrentamento à LGBTFOBIA na próxima segunda (17)

11 MAI 2021 às 17h14
Desligamento Incentivado

Telefônica e sindicatos negociam desligamento de funcionários da Vikstar em Londrina

11 MAI 2021 às 16h55
Após tragédia em SC

Vereadora propõe criação de programa de defesa pessoal para os professores de Londrina

11 MAI 2021 às 16h21
CPI da Covid

Presidente da Anvisa confirma que Saúde sabia que máscaras distribuídas eram impróprias

11 MAI 2021 às 16h08
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados