01/10/20
PUBLICIDADE
Pagamentos

Fraudes no cartão de crédito: dicas para proteger a sua loja virtual

iStock
iStock


Nos últimos anos, o mercado de vendas online se tornou um dos mais atrativos para empreendedores e investidores. Com a chegada da pandemia causada pelo novo coronavírus, esse movimento ganhou ainda mais importância e notoriedade.


Somente nos cinco primeiros meses de 2020, o e-commerce brasileiro faturou 56,8% a mais do que o mesmo período do ano passado, segundo pesquisa realizada pelo Movimento Compre&Confie, em parceria com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Foram mais de 105 bilhões de pedidos, em um crescimento de quase 66% em relação ao mesmo recorte de 2019.

Pagamentos por cartão de crédito

Com este aumento, cresce também o número de pagamentos via cartão de crédito, que, junto com o boleto, concentram praticamente metade das transações do e-commerce brasileiro. Segundo dados da Abecs (Associação Brasileira de Cartões de Crédito e Serviços), as compras com cartão de crédito em 2019 superaram, pela primeira vez na história, a marca de R$ 1 trilhão.

Fraudes com cartões de crédito

O problema, no entanto, é que estes números também chamam a atenção de fraudadores, que veem nos cartões de crédito o principal alvo para suas fraudes na internet.

Para eles, a grande vantagem do e-commerce é nem precisar ter acesso aos cartões para cloná-los ou utilizá-los, bastando ter alcance aos dados nele contidos para conseguir realizar uma compra, já que não há a autenticação por senha.

Segundo levantamento do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), em apenas 12 meses, quase 9 milhões de brasileiros foram alvos de fraudes em seus cartões de crédito, o que reflete, também, nos números do e-commerce do país.

Cenário da fraude no e-commerce

Para se ter uma ideia, somente em 2019 o comércio eletrônico do país deixou de perder R$ 1,9 bilhão com prejuízos causados por fraudes em pedidos pagos com cartões de crédito – crescimento de 36% em relação a 2018, segundo o Mapa da Fraude da ClearSale.

O estudo mostra que, no varejo eletrônico brasileiro atual, a cada R$ 100 em compras realizadas, R$ 3,47, em média, são tentativas de fraudes. "O valor da compra é uma variável importante para determinar o risco da transação, uma vez que os pedidos fraudulentos costumam ter um valor maior do que a média do e-commerce. Em 2019, o ticket médio dos pedidos suspeitos foi de cerca de R$ 1 mil”, explica Omar Jarouche, Diretor de Soluções da Clearsale.

Em 2020, já considerando o aumento das vendas do varejo eletrônico no período de pandemia, somando datas sazonais como Dia das Mães e Dia dos Namorados, foram R$ 141 milhões em fraudes evitadas no e-commerce, considerando apenas os pedidos pagos via cartão de crédito.

Como evitar as fraudes

Todas as vezes em que um consumidor sofre um ataque fraudulento, é muito provável que o criminoso queira seus dados e de seus cartões para realizar compras no e-commerce. Por isso, boas práticas de pessoas físicas, como uso de senhas fortes, desconfiança de promoções muito agressivas, checagem de links e preservação de dados sensíveis também acabam, no fim das contas, protegendo as lojas online.

Falando mais especificamente às empresas que vendem no ambiente virtual, fazer um trabalho de prevenção e combate a fraudes é uma obrigação. Algumas delas optam por fazer este serviço por conta própria, o que as faz cair em armadilhas perigosas, como a visão limitada e o desconhecimento de indicadores importantes para garantir a eficiência do trabalho.

Por isso, o mais indicado é contar com o trabalho de empresas especializadas em gestão de riscos e trabalho antifraude. Este tipo de fornecedor, por ser totalmente focado neste tipo de serviço, consegue ter uma visão mais ampla de todo o mercado, podendo identificar rapidamente grandes ataques e proteger empresas e bons consumidores.

Além disso, as empresas que fazem este trabalho hoje em dia são capazes de equilibrar indicadores como taxa de aprovação, prejuízo direto e tempo de resposta. Dessa forma, conseguem proteger as lojas virtuais ao mesmo tempo em que conseguem preservar a boa experiência de compra de consumidores legítimos.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Em Jacarezinho
MP denuncia homem filmado agredindo companheira em posto de saúde
01 OUT 2020 às 15h15
Fiscalização
Defesa Social recebe 8.967 denúncias de desrespeito à quarentena em seis meses de pandemia
01 OUT 2020 às 14h44
Lava Jato
Fachin nega pedido de Lula para suspender processo do tríplex
01 OUT 2020 às 14h28
Saque e transferência
Caixa libera o auxílio emergencial para nascidos em abril
01 OUT 2020 às 14h17
Saiba mais
Pessoa física poderá ser tarifada por Pix quando receber dinheiro de venda ou serviço prestado
01 OUT 2020 às 12h30
Saiba mais
Eleitor poderá justificar ausência nas eleições deste ano pelo celular
01 OUT 2020 às 12h23
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados