Pesquisar

Canais

Serviços

Gilson Abreu/AEN
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Mercado de trabalho

Londrina deve fechar 2020 com saldo positivo de empregos

Simoni Saris - Grupo Folha
23 dez 2020 às 14:32
Continua depois da publicidade

Apesar da pandemia e da crise econômica que se instalou no rastro do novo coranavírus, Londrina chega ao fim do ano com um quadro não tão sombrio para o mercado de trabalho quanto o que se desenhava no segundo trimestre.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O balanço de 2020 só deve ser fechado em janeiro e, embora os dados parciais apontem um número maior de demissões do que de contratações no acumulado do ano, a expectativa é fechar o ciclo com saldo positivo de empregos formais.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


De janeiro a novembro, o município registrou 57.612 admissões contra 58.027 desligamentos, com deficit de 415 vagas, mas os números de novembro indicam uma recuperação. No mês passado, Londrina teve uma variação positiva de 1,36% no número de empregos, com saldo de 1.987 vagas. Foram 6.624 admissões e 4.637 desligamentos.


Londrina iniciou 2020 em um cenário de recuperação. Após registrar saldos negativos no número de postos de trabalho em 2015 (-2.855), 2016 (-3.806), 2017 (-1.970) e em 2018 (-705), o ano passado foi de retomada e 2019 terminou com saldo positivo de 203 vagas.


Em janeiro e fevereiro deste ano, o município gerou cerca de 1,3 mil novas vagas com carteira assinada e as expectativas eram boas até dezembro. Com a pandemia, no entanto, que impôs medidas de isolamento e distanciamento social e restringiu as atividades de vários setores econômicos, vieram as demissões. "De março a junho, houve uma perda grande de vagas”, lembrou o secretário municipal do Trabalho, Emprego e Renda, Elzo Carreri.

Continua depois da publicidade


Diante da perspectiva de crise, as projeções dos economistas não eram nada animadoras no meio do ano, mas com o retorno das atividades no comércio e na indústria, o período de recuperação veio mais rápido do que o esperado e, a partir de julho, Londrina registrou saldo positivo mês a mês.


O Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado nesta quarta-feira (23) pelo Ministério da Economia, mostra o município com um número maior de admissões do que de desligamentos, com 1.987 vagas geradas no ano – uma variação de 1,36%. "Pelo movimento de vagas disponibilizadas em dezembro, é possível afirmar que fecharemos 2020 com saldo positivo nas vagas de emprego”, avaliou Carreri. "Isso é uma vitória extraordinária. A cidade, mesmo com a pandemia, contratou mais de 50 mil trabalhadores.”


O cenário mais favorável foi observado na construção civil, com 926 vagas criadas. O destaque negativo foi o setor de serviços, que em 11 meses registrou 1.189 postos de trabalho a menos. "A construção civil começa a contratar e isso é muito importante porque mexe com um setor importante da economia, tem muita coisa agregada na construção. É um ótimo sinal”, disse o secretário. "A expectativa para o ano que vem é muito melhor.”


Segundo Carreri, na pandemia foram sete mil postos de trabalho perdidos no município, mas a oferta de emprego começa a crescer. Nesta quarta-feira, o Sine contabilizava 340 vagas abertas em 47 empresas. Entre as ofertas, a maioria era para operador de máquinas, auxiliar de produção e atendente de telemarketing.


"Londrina está atrás de cidades menores, mas mais industrializadas. Isso mostra a importância da industrialização para fortalecer o PIB (Produto Interno Bruto) e desenvolver a cidade. Ponta Grossa, nesse sentido, é um bom exemplo”, disse o presidente da Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Fernando Moraes.

LEIA MAIS: Para economista,


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade