Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Encarecimento do custo de vida

Preço dos combustíveis segue em alta no Paraná e impacta o consumidor

Simoni Saris - Grupo Folha
25 jun 2024 às 10:15
- Marcelo Camargo/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Mesmo com a devolução, pelo Senado Federal, de parte da MP 1227/2024, que trata da compensação do PIS/Pasep e da Cofins, a alta dos combustíveis se mantém no Paraná. 


No início de junho, quando a Medida Provisória entraria em vigor, as distribuidoras se anteciparam e anunciaram o aumento de preços aos revendedores e estes repassaram a alta ao consumidor final. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Os donos de postos de combustíveis responsabilizam as usinas e também apontam o encarecimento do custo de vida como justificativa para as altas.

Leia mais:

Imagem de destaque
Turismo é destaque

Paraná tem 2º maior crescimento do País em 12 meses, aponta IBGE

Imagem de destaque
Determinação

Bets terão que comunicar transações suspeitas ao Coaf e monitorar risco de apostadores

Imagem de destaque
Mais de 33 mil novas

Mais de seis mil empresas foram abertas no Paraná sem necessidade de alvará só em 2024

Imagem de destaque
"Limpar o nome"

Veja como renegociar dívidas após o fim do Desenrola Brasil


Chamada de MP da compensação, a medida apresentada pelo governo federal entrou em vigor em 4 de junho e, no dia 11, a Justiça Federal concedeu a primeira liminar suspendendo seus efeitos por 90 dias. Com o impasse, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, decidiu pela impugnação de trechos da medida provisória. 

Publicidade


Segundo ele, as novas regras que impedem o ressarcimento ou o uso desses créditos para pagamento de outros impostos, só poderiam valer 90 dias após a sua publicação, ou seja, a partir do início de setembro.

Publicidade


A MP impondo limitação aos créditos do PIS/Cofins era uma alternativa para bancar a redução da contribuição previdenciária de 17 setores da economia e dos pequenos municípios até 2028, que vai custar R$ 25 bilhões este ano. Um dos efeitos da compensação seria a alta dos preços dos combustíveis.


No dia 31 de maio, a distribuidora Ipiranga se antecipou e comunicou os donos de postos sobre o aumento. Na sequência, outras distribuidoras fizeram o mesmo. Os revendedores calcularam aumento de 4% a 7% sobre a gasolina e de 1% a 4% sobre o diesel.

Publicidade


Antes da data de vigência da MP, levantamento feito pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) apontou o preço médio da gasolina comum em Londrina de R$ 5,78 o litro. No levantamento mais recente feito pela agência reguladora na semana passada, o produto foi cotado, em média, a R$ 5,98.


O Paranapetro (Sindicato dos Revendedores de Combustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que três fatores pressionaram a alta dos combustíveis em junho. 


A elevação do preço do etanol nas usinas de cana-de-açúcar, a MP 1227, que forçou um aumento nos postos de até 15% e após a devolução da medida provisória, não retornaram aos valores antigos, e as distribuidoras, que teriam reajustado a gasolina entre R$ 0,18 e R$ 0,25 neste mês.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Alta dos combustíveis persiste no Paraná e impacta preços ao consumidor
Alta dos combustíveis persiste no Paraná mesmo após devolução de parte da MP 1227/2024 pelo Senado, impactando preços ao consumidor.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade