Pesquisar

Canais

Serviços

Jardiel Carvalho (F)/Folhapress
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Motivo é a elevação da Selic

Setor de restaurantes prevê alta da inadimplência e crise no Pronampe

Folhapress/Joana Cunha
01 nov 2021 às 15:30
Continua depois da publicidade

Depois de um período de alívio pelo fim das restrições de funcionamento na pandemia, o setor de restaurantes e bares retoma o discurso pessimista.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O motivo é a elevação da Selic (Sistema Especial de Liquidação de Custódia) para 7,75% ao ano, que vai dificultar o crédito no momento em que as empresas estão descapitalizadas e mais de 30% seguem com prejuízo, segundo Paulo Solmucci, presidente da Abrasel (associação do setor).

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Ele afirma que as pesquisas de setembro apontam que quase 45% dos negócios que tomaram empréstimo bancário estão com atraso acima de 90 dias, com tendência de alta, e prevê um colapso nos pagamentos.


A preocupação maior, segundo a Abrasel, é o Pronampe, o programa do governo federal para​ conceder crédito e apoiar micro e pequenas empresas na pandemia. 


"Por ser o indexador do Pronampe, eleva para 9% os juros cobrados pelo programa de crédito, ante os 3,25% que eram cobrados no ano passado", diz.

Continua depois da publicidade


Solmucci vai pedir prazos mais alongados de pagamentos ou renegociação de taxas para o setor.


"Ou a gente reestrutura essa dívida, ou todos que tomaram recursos para sobreviver vão ser jogados na inadimplência", afirma. Os custos de aluguel, energia, alimentos e bebidas também alertam.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade