Pesquisar

Canais

Serviços

iStock
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Veja a análise

Taxa de inadimplência em Londrina tem alta de 8,5% em dezembro, diz Acil

Simoni Saris - Grupo Folha
07 jan 2022 às 07:18
Continua depois da publicidade

O índice de inadimplência em Londrina voltou a crescer no último mês de dezembro. Os indicadores do SPC/Acil (Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina) apontam alta de 8,5% em relação a dezembro de 2020. No acumulado do ano, em 2021 houve aumento de 12,9% no número de pessoas inscritas no cadastro de devedores na comparação com o ano anterior. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Enquanto a taxa de permanência no SPC no município ficou em 30,9% no ano passado, pouco acima do registrado em 2020, quando o índice foi de 29%, houve uma ligeira queda no índice dos que conseguiram sair da lista de inadimplentes de um ano para outro, baixando de 71% em 2020 para 69,1% no ano passado. No ano, porém, o número de pessoas que retiraram seus nomes do cadastro de devedores subiu 9,8% na comparação com 2020.  

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


“O ano de 2020 foi o que teve menor número de inscritos no SPC na série de quatro anos por causa do efeito da pandemia. As pessoas retraíram o consumo e, dadas as incertezas econômicas e sanitárias, contraíra menor volume de dívida. Então, embora tenha tido esse crescimento de 12,9% em 2021, a alta reflete a retomada, a flexibilização das atividades econômicas, que ativa a necessidade de maior consumo e o maior volume de crédito”, avaliou o economista Azenil Staviski. Quando há o reaquecimento da economia, disse ele, o número de inscritos no SPC pode aumentar, em uma correlação direta. 


A inadimplência que vem no rastro do aumento do consumo, destacou o economista, é resultado da má avaliação da capacidade de pagamento por quem busca crédito. “As pessoas têm que entender que o recurso não é deles e à medida que ultrapassa a capacidade de pagamento, cai na inadimplência, é um processo dinâmico.” 


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo