Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Crianças transferidas

Creche ameaça desabar na zona sul de Londrina

Loriane Comeli - Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Depois de mais de seis anos de reivindicações por melhorias na estrutura da creche Níssia Rocha Cabral, na zona sul de Londrina, os diretores, professores e alunos vislumbram a possibilidade concreta de terem uma nova sede. Na manhã desta segunda-feira (9), o prefeito José Roque Neto (PTB) se comprometeu a disponibilizar outro prédio para as 134 crianças de um a cinco anos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

O atual imóvel da creche, localizado na Rua Antonio Vizitacao Lopes Rubio, no fundo de vale do Conjunto Aníbal Siqueira Cabral, apresenta rachaduras e risco de desabamento em parte dele. Em terreno irregular e alagadiço como é o de um fundo de vale, a construção ameça ruir, além da agressão ao meio ambiente, já que não é permitido edificar em áreas de fundo de vale.

Continua depois da publicidade


A diretora da creche, Welli Terezinha Abramovicht, que participou da reunião nesta manhã com o prefeito e com a promotora da Vara da Infância Juventude, Édina Maria Silva de Paula, disse que a nova sede da creche deve ser à Rua Ananias Fonseca da Silva, próximo do endereço atual, num imóvel que pertence à Companhia de Habitação (COHAB) de Londrina.


"Antigamente este prédio era um mercado e depois foi utilizado por uma escola particular, porém, precisa de algumas adequações que os engenheiros já começaram a estudar", disse Welli.


Segundo ela, a diretoria da creche pediu um prazo de 30 dias para que as crianças possam efetivamente ser transferidas para a nova sede. "A situação aqui é precária: há rachaduras enormes; na cozinha, o teto cedeu e as janelas estão se quebrando em razão do peso; a fiação elétrica é outro risco", descreveu a coordenadora da unidade, Fabiana Rodrigues dos Santos.

Continua depois da publicidade


Insetos


Outro problema enfrentado diariamente por professores e criança provém da proximidade com a vegetação do fundo de vale: as crianças também convivam com insetos, como formigas, cobras, escorpiões, aranhas e carrapatos. "Todos os dias antes das crianças entrarem temos que fazer uma vistoria para retirarmos os insetos", disse Welli. "Já matei muita cobra aqui, mas graças a Deus, nunca ninguém foi picado", contou.


O atual prédio também absorve muita umidade, deixando sempre pisos e paredes levemente molhados. "Isso é um problema para a saúde das crianças, que constantemente ficam gripadas ou pegam pneumonia", lamentou Welli,.

A creche Níssia Rocha Cabral existe há 24 anos e desde 2002 os diretoria pede uma nova sede. A atual estrutura deverá ser demolida e o fundo de vale, revitalizado. As aulas não serão suspensas.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade