Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Abertura do Mercado Financeiro em 22.01.02

Century Inestimentos Ltda
22 jan 2002 às 08:20
Continua depois da publicidade
Papéis de empresas de energia podem ter quedas por causa das perdas causadas pelo apagão de segunda-feira e, principalmente, pela sensação de que o sistema elétrico brasileiro continua bastante frágil.
No primeiro pregão da semana, as ações do setor não sofreram porque as operações praticamente terminaram no meio do dia, por falta de condições da maior parte das corretoras. A Bovespa teve queda de 1,63% e fechou com volume bastante fraco, de R$ 189,7 milhões.
O destaque da terça-feira no mercado de câmbio é o início da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), formado por diretores do Banco Central, que decidem sobre os juros básicos da economia. É consenso que a taxa Selic será mais uma vez mantida nos atuais 19% ao ano.
ÁSIA
As principais bolsas asiáticas encerraram o pregão desta terça-feira com tendências diversas. Em Tóquio, a queda refletiu o rebaixamento da classificação dos bancos locais promovida pela agência Moody´s. Nesta segunda, 10 instituições japonesas deixaram a classificação "estável" e passaram à "negativa". A Bolsa de Valores de Tóquio fechou nesta terça-feira em baixa de 2,23%. O índice Nikkei perdeu 229,27 pontos e encerrou com 10.050,98 unidades.
EUROPA
Bolsa de Valores de Paris abriu o pregão em baixa de 0,03%. A Bolsa de Frankfurt também opera em queda de 0,45%. Em Zurique, alta de 0,03%.
ARGENTINA
O presidente do Banco Central (BC), Armínio Fraga, reafirmou hoje seu apoio ao governo argentino e disse que em conjunto com outras nações - México, Chile, Estados Unidos e Canadá - o governo está pensando em participar de um seminário em Buenos Aires sobre economia. Ainda não há data marcada para tal evento, mas Fraga negou que estaria de viagem marcada ainda nesta semana para o país vizinho.
DESTAQUE
A Transbrasil foi vendida por US$ 25 milhões para a empresa Fly Brazil Táxi Aéreo (que não tem relação com a companhia aérea Fly), do empresário goiano Dilson Prado da Fonseca. A Fly fez o negócio em parceria com um grupo de investidores, entre eles duas empresas aéreas de transporte de carga americanas, segundo fontes do mercado. O consórcio vai injetar, inicialmente, R$ 270 milhões na companhia por seis meses, e assumir o passivo trabalhista da Transbrasil.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade