Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Cingapura em 1º

Brasil fica em 61º lugar em ranking de logística

Redação Bonde
06 nov 2007 às 11:44
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Brasil ficou na 61ª posição em um ranking de logística comercial do Banco Mundial, divulgado na segunda-feira. O estudo avaliou 150 países na sua capacidade de se ligar a mercados internacionais e transportar mercadorias.

"A habilidade de se conectar a mercados globais está se tornando cada vez mais um aspecto fundamental na capacidade de um país de competir, crescer, atrair investimentos, criar empregos e reduzir a pobreza", disse Danny Leipziger, vice-presidente para Redução da Pobreza e Gerenciamento Econômico do Banco Mundial.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Entre os países da América Latina e do Caribe, o melhor colocado foi o Chile, que ficou em 32º lugar no ranking geral - o Brasil é o sexto país da região, atrás de nações como Argentina, México e Peru.

Leia mais:

Imagem de destaque
Espanha, Malta, Alemanha...

Entenda como é o uso de drogas em países que foram além da descriminalização

Imagem de destaque
Arcebispo conservador

Vaticano excomunga arcebispo que chamou papa de 'servo de Satanás'

Imagem de destaque
Na inglaterra

Enfermeira é condenada pela 15ª vez à prisão perpétua por matar bebês prematuros

Imagem de destaque
No Colorado

Cachorro liga fogão acidentalmente e põe fogo em casa nos EUA; veja vídeo


Alfândega

Publicidade


Segundo o relatório, a área em que o Brasil se saiu melhor foi o tempo levado para que as mercadorias cheguem a seu destino. A pior marca foi em relação à eficiência dos serviços de alfândega e fronteira.


Cingapura, que tem um dos maiores portos do mundo, foi o primeiro colocado na lista, pelo segundo ano consecutivo. O país que tem a pior logística, de acordo com o Banco Mundial, é o Afeganistão. Já entre os países em desenvolvimento, a Coréia do Sul obteve a melhor posição da lista, 25ª.

Publicidade


Segundo o estudo, intitulado "Conectar-se para Competir", o sucesso em melhorar a performance logística também depende do governo e do contexto institucional.


O pagamento de propinas, por exemplo, é raro nos 30 países que lideram o ranking, mas é mais comum entre as nações piores colocadas.

As informações são da BBC Brasil.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade