Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Em Curitiba

Funcionário de padaria fica refém por duas horas

AEN
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Apenas duas horas depois de uma tentativa de roubo à residência, que culminou com uma pessoa refém em uma panificadora na Rua Doutor Alcides Vieira Arcoverde, no Guabirotuba, próximo à Avenida das Torres, em Curitiba, a Polícia Militar prendeu o autor da ação, apreendeu um revólver 38 e resgatou a vítima, no final da noite de sexta-feira (22).

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Tudo começou quando Giliard Rogério Rodrigues, 26 anos, e seu comparsa Aguinaldo José de Moraes, 40, assaltaram uma residência e a polícia foi acionada pelo 190. Policiais do 20.º Batalhão de Polícia Militar foram ao local, onde prenderam Moraes. "O outro [Giliard] saiu correndo, atravessou a avenida, entrou em uma panificadora, onde fez o refém", explicou o tenente Wagner de Araújo, relações públicas do 20º BPM.

Continua depois da publicidade


Equipes da Companhia de Polícia de Choque, da Rondas de Natureza Especial (Rone) e do Comandos e Operações Especiais (COE) da Polícia Militar foram ao local. A polícia isolou a área e começou a negociação para libertação do refém. Os negociadores do COE foram os tenentes João Cardoso Neto e Cézar Honatski. Trabalharam também policiais do 20.º BPM, do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e do Corpo de Bombeiros.


O tenente-coronel Nilson Carlos Rosa, comandante do Colégio da Polícia Militar, atuou como gerente da crise e o major Chehade Elias Geha, comandante da Companhia de Polícia de Choque, comandou as operações. "Cumprimos o dever, preservamos vida e aplicamos a lei", resumiu Chehade. Os dois detidos e a arma foram encaminhado ao Ciac/Sul (Centro de Atendimento ao Cidadão), no bairro Portão.


Portaria

Continua depois da publicidade


De acordo com o tenente Araújo, Aguinaldo levava consigo uma portaria da Vara de Execuções Penais, que lhe permitia o convívio familiar neste fim de semana. "Ele é preso da Colônia Penal Agrícola, responde por homicídio e vários roubos e tinha recebido o documento às 11h da manhã. Em vez de desfrutar da liberdade com a família aproveitou para cometer novo crime", ressaltou.


Araújo contou ainda que, no momento da prisão, foi recuperado com ele celular, carteira, relógio e jóias roubados da residência. "O resultado foi altamente positivo, pois todos os policiais trabalharam em suas áreas de atuação, de maneira integrada e utilizando técnicas necessárias para atingir o objetivo final, que era resgatar o refém e prender o suspeito", enfatizou o oficial.


Major Chehade destacou que a Polícia Militar do Paraná está preparada para agir rápido e com eficiência em casos como este. "Nossos treinamentos são contínuos e os investimentos em capacitação são amplos, por isso, temos agilidade e segurança em situações de risco, apresentando os resultados esperados pela população", afirmou.

Para Araújo, os policiais que estabelecem o primeiro contato em uma situação de crise são essenciais para que ela se desenvolva sem problemas. "Os policiais que estão em patrulhamento, são da área da ocorrência, realizam a primeira intervenção em um evento crítico, preservando a vida dos PMs e das pessoas envolvidas", disse.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade