Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Prazo até 11 de setembro

Cambé: Comissão de Ética vai analisar denúncia de assédio contra vereador

Rafael Machado - Grupo Folha
12 jul 2022 às 17:30
- Gustavo Carneiro/Grupo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O presidente da Câmara Municipal de Cambé, Dr. Fernando Lima (União Brasil), decidiu encaminhar para a Comissão de Ética a denúncia de assédio sexual feita por uma funcionária da limpeza contra o vereador Carlinhos da Ambulância (PTB). O envio foi feito após uma orientação da Procuradoria Jurídica do Legislativo. 


"A comissão tem dois meses pra emitir um relatório opinativo sobre o caso. Existem dois caminhos. Se o ato for considerado atentatório, o regimento interno prevê punições que variam da censura verbal até a suspensão da função de vereador. Se a postura dele for considerada incompatível, a penalidade pode ser a perda do mandato. Nesse caso, pode ser aberta uma Comissão Processante (CP)", comentou Lima. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O prazo para a Comissão de Ética concluir os trabalhos vai até o dia 11 de setembro. O grupo é formado pelos vereadores Galego (PSL) na presidência, Jota Mattos (PSD) como corregedor e Odair Paviani (PSDB) na relatoria. É ele que dará o parecer final. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Tentativa de golpe

Militares da ativa escreveram carta para pressionar Exército a participar de golpe, diz PF

Imagem de destaque
Reajuste de 3,82%

Salário dos próximos vereadores em Londrina deve chegar a R$ 15,6 mil

Imagem de destaque
Indicado por Lula

Flávio Dino toma posse como ministro do STF nesta quinta-feira

Imagem de destaque
'não é um político tradicional'

Haddad afirma que fala de Lula sobre Gaza foi grito de socorro


Se o documento indicar alguma suspensão, será votado em plenário. A decisão será aplicada se houver maioria simples, ou seja, se seis dos 10 vereadores concordarem com o relatório. Se esse número não for alcançado, o caso será arquivado. 


Enquanto isso, o parlamentar denunciado continua recebendo normalmente os salários e exercendo o cargo. A comissão pode solicitar o afastamento dele durante a apuração, o que ainda não foi feito. 


LEIA MAIS NA FOLHA DE LONDRINA

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade