Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Prevenção contra a Covid-19

Deputados mantêm decisão de Ratinho Jr. para não checar temperatura corporal

Rafael Machado - Grupo Folha
09 mai 2022 às 20:04
- Dálie Felberg/Alep
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Demorou, mas chegou o momento dos deputados estaduais analisarem o veto do governador Ratinho Jr. (PSD) ao projeto que obriga a aferição de temperatura no Paraná em repartições públicas e ambientes coletivos, como lojas, bancos e a indústria. A decisão do governo em vetar integralmente o texto é de julho de 2020, mas só foi discutida em plenário quase dois anos depois. 


Na época, no auge da pandemia de Covid-19, cinco parlamentares - Luiz Cláudio Romanelli (PSD), Ademar Traiano (PSD), Tercílio Turini (PSD), Alexandre Curi (PSD) e Michele Caputo (PSDB) - sugeriram a obrigatoriedade preferencialmente por termômetros infravermelhos ou por imagem e também multa de R$ 613 em caso de descumprimento. O valor pode ser dobrado em situação de reincidência. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Imagem ilustrativa da imagem Deputados mantêm veto para não obrigar aferição de temperatura no PR

Leia mais:

Imagem de destaque
Tentativa de golpe

Militares da ativa escreveram carta para pressionar Exército a participar de golpe, diz PF

Imagem de destaque
Reajuste de 3,82%

Salário dos próximos vereadores em Londrina deve chegar a R$ 15,6 mil

Imagem de destaque
Indicado por Lula

Flávio Dino toma posse como ministro do STF nesta quinta-feira

Imagem de destaque
'não é um político tradicional'

Haddad afirma que fala de Lula sobre Gaza foi grito de socorro

|  Foto: Gustavo Carneiro/Folha de Londrina

Publicidade

 

Em fevereiro, a Sesa alterou uma resolução desobrigando a aferição para febre em prédios públicos e privados de grande movimentação de pessoas. 

Publicidade


Votação


O governo levou ampla vantagem em quem desejava a derrubada do veto. Dos 47 deputados presentes, 45 votaram, sendo 37 favoráveis ao posicionamento de Ratinho e apenas sete contra. Dos autores, Traiano não participou porque é presidente. Somente Caputo manteve a opinião emitida no projeto. Os outros mudaram de posicionamento.


"Fizemos o projeto no pico da pandemia, quando os casos e mortes por coronavírus cresciam sem parar. Se o veto fosse discutido, certamente seria derrubado. Mas hoje o panorama da doença no Paraná é outro. Com o avanço da vacinação. não vejo mais necessidade da aferição. É igual a máscara, que não é mais obrigatória", argumentou Turini à FOLHA. Ele é da base de Ratinho Jr. na AL. 


Continue lendo na FOLHA

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade