Pesquisar

Canais

Serviços

Eleições 2022

Paraná: Candidatura de Moro embaralha eleições

- Divulgação
Guilherme Marconi - Grupo Folha
13 jun 2022 às 08:05
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Após novo revés no TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, o futuro da carreira política do ex-juiz federal Sergio Moro está cada dia mais incerto. A volta ao domicílio ao Paraná também embaralha o jogo, principalmente se Moro decidir por disputar o Senado.  O ex-ministro da Justiça também tem a possibilidade de concorrer a uma cadeira na Câmara de Deputados, mas independente do cargo que irá disputar, os analistas políticos ouvidos pela FOLHA avaliam que o ex-titular da Lava Jato sai com capital político ainda mais encolhido do novo episódio.

Continua depois da publicidade


Para o cientista político e professor da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Emerson Cervi, caso Moro defina por uma candidatura para o Senado pelo Paraná será mais uma afronta ao senador Alvaro Dias (Podemos), que foi o seu principal defensor no parlamento. "Seria a última fronteira que Moro cruzaria, de uma traição direta porque Alvaro Dias foi o político que mais o defendeu no Congresso Nacional desde a Lava Jato e depois. O Moro se voltar contra ele seria uma traição pessoal e seria muito desgastante." Antes dessa da ida de Moro ao União Brasil, Alvaro também foi o grande patrocinador do nome dele como presidenciável do Podemos. 


Procurado pela reportagem sobre a hipótese, Alvaro Dias, que é candidato à reeleição no Senado, desconversou. "Não tenho informações a respeito de eventuais candidatos de outros partidos.  Com relação ao meu partido, só em julho decidiremos. Como tenho mandato, estou aproveitando ao máximo o tempo para atuar no Senado, já que a campanha começa em agosto", respondeu por mensagem. 


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade