Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Caso Moro

Pré-campanha: Gastos excessivos podem configurar abuso de poder

Douglas Kuspiosz - Grupo Folha
11 mai 2024 às 16:49
- Fernando Frazão/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) marcou para os dias 16 e 21 de maio o julgamento que pode cassar o mandato do senador Sergio Moro (União Brasil), acusado de cometer abuso de poder econômico em 2022, quando inicialmente foi pré-candidato à Presidência da República e depois ao Senado. O TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) rejeitou a cassação, mas o PL e o PT, autores do pedido à Justiça, entraram com recursos.


A advogada eleitoral Fernanda Viotto explica que a legislação prevê três tipos de abuso de poder que podem acontecer na pré-campanha e na campanha: o econômico, o político e o midiático.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


“O abuso de poder econômico é a utilização excessiva de recursos durante ou antes da campanha. O problema desse abuso é que ele acaba afetando a normalidade das eleições e desequilibrando a disputa eleitoral”, explica Viotto, que pontua que há dificuldade em comprovar a irregularidade.

Leia mais:

Imagem de destaque
Incluindo jogo do bicho

Lula afirma que vai sancionar projeto que libera cassinos e jogos de azar

Imagem de destaque
Segue até 28 de junho

STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS

Imagem de destaque
Medida polêmica

Projeto de Lei obriga instalação de telas de proteção em apartamentos de Londrina

Imagem de destaque
Entenda

Lula se vacinou contra dengue na rede privada, sem divulgar e antes da campanha do SUS


O problema é que não existe uma definição de qual é o gasto máximo permitido para o período das pré-candidaturas, uma vez que a legislação apenas autoriza gastos moderados para um candidato médio, afirma a advogada. E a Justiça Eleitoral só deve estabelecer o teto de gastos para a campanha deste ano em julho.


“Os pré-candidatos precisam gastar dinheiro na pré-campanha. E qual é o teto? Vou dizer que, no meu entendimento e de alguns juristas, um gasto moderado seria em torno de 10% a 20% do teto da campanha, só que já estamos em pré-campanha e ainda não temos a portaria dizendo qual é o teto de gastos para 2024”, afirma. “É importante lembrar que as campanhas eleitorais duravam 90 dias e hoje elas são de 45 a 50 dias. Então, o trabalho realizado na pré-campanha é extremamente importante para dar viabilidade para aquele candidato.”


LEIA MAIS NA FOLHA DE LONDRINA.


Imagem
Gastos excessivos na pré-campanha podem configurar abuso de poder
Especialista explica que gastos devem ser ‘moderados’ no período, mas não há consenso sobre o percentual; caso Moro tem julgamento marcado
Imagem
Rodoviária de Londrina é o ponto de partida para reunir as famílias no Dia das Mães
Com o dia das mães se aproximando, milhares de pessoas vão embarcarcar ou desembarcar através da Rodoviária de Londrina, principalmente neste final de semana onde as famílias irão se encontrar para passar o domingo juntos para comemorar o dia das mães.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade