Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Novas Legislações

Presidente da Comissão de Justiça quer agilidade no Plano Diretor em Londrina

Douglas Kuspiosz - Especial para a Folha
09 fev 2024 às 08:45
- Devanir Parra/CML
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Nova presidente da Comissão de Justiça, Legislação e Redação da CML (Câmara Municipal de Londrina), a vereadora Flávia Cabral (PP) quer agilidade na discussão das leis complementares ao Plano Diretor. 


Cabral já presidiu a comissão em 2022, experiência que pesou na escolha do seu nome, e vai conduzir os trabalhos ao lado do vice-presidente Deivid Wisley (Republicanos) e de Daniele Ziober (PP), Lenir de Assis (PT) e Mara Boca Aberta (sem partido), que são membros.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A definição de quem ficaria à frente da comissão mais importante do Legislativo começou na sessão do dia 1°, continuou na última terça (6) e só saiu nesta quinta-feira (8). Foi um momento decisivo para a CML, acredita a vereadora, já que o grupo precisa ser plural.

Leia mais:

Imagem de destaque
'Bluesky'

Lula adere a rede rival de Musk após movimento da esquerda contra X

Imagem de destaque
Briga de engravatados

Após ser chamado de ‘incompetente’ na ExpoLondrina, ministro de Lula reage

Imagem de destaque
Entenda

STF forma maioria para ampliar foro especial, mas Mendonça interrompe julgamento

Imagem de destaque

Presidente Lula sanciona, com veto, projeto que proíbe saidinha de presos


“A Comissão de Justiça precisa ter representatividade de vários partidos. Tivemos todo um trabalho de planejamento para que a população londrinense se sentisse representada”, revela a presidente, emendando que “a política é a arte de dialogar para achar soluções para o bem da sociedade”.

Publicidade


Entre os projetos que passarão pela Comissão de Justiça estão as leis do Plano Diretor, que devem ser votadas ainda em 2024. Cabral aponta que as novas legislações vão destravar a cidade e que o objeto é adiantar ao máximo essas discussões. 


“O ideal seria que os projetos realmente determinantes para o município fossem discutidos no primeiro semestre. Essa é a visão que eu tenho e que os pares entenderam ser importante. Nós devemos dar essa celeridade para que o debate aconteça agora e não haja nenhum tipo de contaminação [por conta das eleições]”, acredita.

Publicidade


Até o momento, apenas a Lei da Divisão Territorial (Lei n° 13.718/2023) foi aprovada. Tramitam as leis de Parcelamento de Solo para Fins Urbanos (PL nº 140/2023), do Sistema Viário (PL nº 63/2023), de Uso e Ocupação do Solo Urbano (PL nº 143/2023) e do Patrimônio Histórico (PL nº 230/2023), além dos códigos Ambiental (PL nº 231/2023), de Posturas (PL nº 235/2023), de Obras e Edificações (PL nº 234/2023), e do texto n° 1/2024, que define os parâmetros da AEU-DS (Área de Expansão Urbana de Desenvolvimento Sustentável).


Como a presidência tem o poder de pautar os textos, a vereadora quer dar “máxima velocidade” às matérias, respeitando o trâmite burocrático - como a realização das audiências públicas, por exemplo. E essa visão é compartilhada pelos outros membros.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Presidente da Comissão de Justiça quer agilidade no Plano Diretor
Vereadora Flávia Cabral quer dar celeridade às discussões sobre as leis complementares ao Plano Diretor de Londrina. Conheça os projetos em pauta e a importância dessa decisão para a cidade.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade