Pesquisar

Canais

Serviços

iStock
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Entenda

Pandemia força saída de mulheres do mercado de trabalho

Simoni Saris - Grupo Folha
09 fev 2021 às 09:44
Continua depois da publicidade

A atendente Rita de Cássia trabalhava em uma lanchonete até o início do ano passado. Mas com a chegada da pandemia do novo coronavírus e com as medidas de restrição das atividades comerciais, o patrão propôs um acordo e ela deixou o emprego. "A loja havia inaugurado há pouco tempo e o público, que era grande, caiu pela metade porque passou a atender só para delivery. Meu patrão disse que não teria como pagar todo mundo e saímos eu e mais duas pessoas”, contou.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Sem emprego e com cinco filhos, três deles em idade escolar, Rita de Cássia passou a viver apenas com a renda do bolsa-família, de pouco mais de R$ 400 mensais, e enfrentou alguns apertos financeiros nos últimos meses. Para reforçar o orçamento, fazia diárias como atendente auxiliar em um restaurante, das 6 às 16 horas, mas metade dos R$ 80 que recebia por jornada era destinada ao pagamento de uma pessoa que cuidava dos seus filhos enquanto ela estava no trabalho, já que as creches e escolas deixaram de funcionar. "Eu saía de casa às 5h20 e chegava por volta das 17 horas. Não era justo pagar menos do que isso para a menina que cuidava dos meus filhos.”

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Agora, Rita de Cássia tenta voltar ao mercado de trabalho, mas percebeu a redução das vagas disponíveis e um aumento do número de candidatos. No momento, a atendente sonha em conseguir uma das 200 vagas ofertadas por uma rede de supermercados. Ela passou pelo processo seletivo com outras mil pessoas e está esperançosa.


Leia mais na Folha de Londrina: https://www.folhadelondrina.com.br/economia/pandemia-forca-saida-de-mulheres-do-mercado-de-trabalho-3057684e.html


Continue lendo