25/02/21
PUBLICIDADE
Saiba mais

Documentário mostra Brasil como mau exemplo no enfrentamento ao coronavírus

Bastam 45 segundos para o Brasil aparecer no documentário "Explicando... o coronavírus", feito pela Netflix em parceria com a Vox Media e que estreou no domingo (26). Ao lado de presidentes que minimizaram a pandemia, como o americano Donald Trump e o iraniano Hassan Rohani, além do premiê britânico Boris Johnson (antes de ele próprio ficar doente), Jair Bolsonaro diz que o novo coronavírus é uma fantasia.

iStock
iStock


O país volta a figurar em uma cena de manifestação a favor de Bolsonaro em 15 de março, quando manifestantes de camisas verde e amarelo ignoraram o cancelamento oficial dos atos por causa da pandemia, que já tinha dado as caras aqui e castigava fortemente outros países.

É para grupos como esses, que questionam o isolamento social, que a série parece querer pregar. Passo a passo o episódio vai desconstruindo o discurso dos líderes negacionistas com ciência, história e cenas chocantes em UTIs da Itália até chegar aos bons exemplos: Canadá, Coreia do Sul, Nova Zelândia.

Para quem acompanha de perto o noticiário e a divulgação científica acerca do tema, porém, boa parte do episódio tem cara de déjà vu.

A voz poderosa do ator J. K. Simmons explica, didaticamente e com ajuda de bons infográficos, que o novo vírus pertence à família dos coronavírus, foi batizado de Sars-CoV-2, causa uma doença chamada Covid-19, teria saltado de bichos para humanos em um mercado de animais vivos na China e é menos letal que o ebola e menos infeccioso que o sarampo.

O filme também bate em teclas já repetidas à exaustão, mas importantes: quais são os sintomas mais comuns da infecção e quem tem maior risco de ter complicações (homens, idosos, doentes crônicos). Fala ainda da já consagrada expressão "achatar a curva", sobre a necessidade de espalhar os casos ao longo do tempo para evitar picos de doentes e sobrecarregar os hospitais.

Contra a expectativa de medicamentos milagrosos, o documentário lembra que antivirais são difíceis de serem desenvolvidos e que a melhor forma de derrotar um vírus é tornando-se imune a ele. O problema é que 1) apostar na chamada imunidade de rebanho, como tentou fazer o Reino Unido, pode custar milhões de vidas, 2) uma vacina segura e eficaz pode levar uns anos e 3) os outros coronavírus não dão imunidade vitalícia e é provável que o novo se comporte assim também, como apontaram casos de reinfecção na Ásia –para a tristeza de quem já foi infectado e promove festas apostando numa suposta proteção.

Até a sonhada vacina chegar, será preciso se defender com a arma "old school" da quarentena, que surgiu na época da Peste Negra medieval e foi usada com sucesso por algumas cidades americanas durante a gripe espanhola, em 1918.

Acertadamente, o documentário se vangloria de trechos de entrevistas premonitórias com Bill Gates de "Pandemia", também da Netflix e lançado em 2019, e critica a China pela demora em agir e por ter tentado esconder a gravidade do surto.

Também revela que a própria OMS (Organização Mundial da Saúde) disse, em setembro do ano passado, que o mundo não estava preparado para uma pandemia e afirma que ela não surgiu do nada: ações humanas como desmatamento, convívio com animais isolados e o confinamento de bichos prepararam o solo para o que vivemos e podem causar novos pesadelos.

Mas, para tentar terminar num tom otimista, lembra que até agora nenhum vírus nos derrotou –o que é óbvio. Para vencer essa batalha, porém, será preciso apostar mais em ciência do que em achismos e desinfetante.
Mariana Versolato - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Reality show

Líder do BBB 21, João diz que vai usar parte de prêmio de R$ 10 mil para casar

25 FEV 2021 às 10h21
Arremesso

João Luiz vence prova e se torna o líder da semana no BBB 21

25 FEV 2021 às 09h26
Treeta

Marcos Pitombo entra na Justiça por boato de que era amante do ex de Pugliesi

25 FEV 2021 às 08h59
Será?

Globo afirma que Karol Conká não conversou durante intervalo do BBB 21

25 FEV 2021 às 08h11
Confira

Eliminação de Karol Conká rende melhor audiência do Big Brother em dez anos

24 FEV 2021 às 17h56
'Amor da Minha Vida'

Cleo e Fábio Jr. lançam música de Fiuk durante BBB e não descartam parceria dos três

24 FEV 2021 às 17h15
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados