Pesquisar

Canais

Serviços

Via redes sociais

Condenado, Robinho diz que teve direitos constitucionais violados

UOL/Folhapress
18 abr 2024 às 12:11
- Divulgação/Santos FC
Publicidade
Publicidade

O ex-jogador Robinho se manifestou, via assessoria de imprensa, na última quarta-feira (17) em postagem nas redes sociais. O ex-jogador, que está preso no Brasil por participação em estupro coletivo, afirmou que é inocente e que teve seus direitos constitucionais violados.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Veja a nota do atacante

Gabigol é multado e perde a 10 do Fla após foto com camisa do Corinthians

Imagem de destaque
Sedes

Veja os estádios que receberão jogos da Copa do Mundo feminina 2027

Imagem de destaque
Entenda

Reformulação no Palmeiras contará com reforço de peso e zagueiro talentoso

Imagem de destaque
De acordo

São Paulo: Lucas revela conversa com Zubeldía e onde vai jogar com técnico

"Sou inocente de todas as acusações na Itália. No Brasil, tive os meus direitos constitucionais violados e vou continuar lutando por justiça", disse Robinho.

Publicidade


A defesa de Robinho aponta quatro "irregularidades inconstitucionais no caso". O texto aponta falhas processuais, inclusive na aplicação da Lei de Migração, e questiona o cumprimento da pena em território brasileiro.


Os advogados do ex-jogador alegam que o processo deveria ser reaberto e julgado no Brasil. A defesa entrou com pedido de habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal) ainda em março, mas ele ainda não foi julgado.

Publicidade


"As incongruências constitucionais destacadas apontam para a necessidade de uma revisão cuidadosa dos procedimentos adotados, tanto em âmbito nacional quanto internacional. Os advogados de defesa de Robinho sustentam que estes erros processuais e a aplicação inapropriada da lei comprometem a equidade e a justiça do processo",. afirma trecho da postagem de Robinho.


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) homologou a transferência da pena solicitada pela Justiça italiana em 20 de março. O ex-jogador foi condenado na Itália a nove anos de prisão por participar de um estupro coletivo.

Publicidade


Robinho foi preso no dia seguinte e já teve um pedido de habeas corpus negado. O ministro Luiz Lux, do STF, foi o responsável pelo julgamento.


O CASO


Robinho e mais cinco amigos foram denunciados por estupro por uma mulher albanesa. O caso aconteceu no dia 22 de janeiro de 2013, na boate Sio Cafe, em Milão, na Itália. Até nesta quinta-feira (18), apenas ele e Ricardo Falco foram condenados.

Publicidade


Os outros quatro amigos de Robinho não foram condenados. Como todos já haviam deixado a Itália durante as investigações, eles não foram localizados pela Justiça para serem notificados para a audiência preliminar que aconteceu em 31 de março de 2016. Assim, o juiz resolveu separar os casos.


Em 2014, Robinho admitiu ter mantido relações sexuais com a vítima, mas negou violência sexual. Ele reforçou o discurso em 2020, em entrevista ao UOL.

Publicidade


Ainda em 2020, quando já havia sido condenado em primeira instância, ele acertou seu retorno ao Santos. O time, no entanto, suspendeu o contrato com o atacante dias depois por causa da pressão da torcida e da imprensa pelo caso.


Em 2022, Robinho foi condenado na terceira e última instância da Justiça italiana a nove anos de prisão. Entretanto, ele nunca foi preso por já estar no Brasil, que não extradita seus cidadãos. Sendo assim, a Itália pediu para que o Brasil julgasse a possibilidade de o ex-jogador cumprir a pena em solo brasileiro.


O Ministério Público Federal se manifestou a favor da prisão de Robinho. O vice-procurador geral da República, Hindenburgo Chateaubriand, mencionou as gravações feitas pela Justiça italiana que levaram à condenação de Robinho. Essas gravações foram publicadas pela primeira vez no podcast UOL Esporte Histórias - Os Grampos de Robinho.


Imagem
Santos e outros times procuram Gustavo Mosquito, mas Corinthians veta saída
Santos e outros clubes procuraram Gustavo Mosquito, mas o Corinthians vetou a saída do atacante por empréstimo.
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade