Pesquisar

Canais

Serviços

Ouro e prata

Sem apoio público, lutadores de kickboxing de Londrina são destaque em Campeonato Brasileiro

- Arquivo pessoal
Bruno Souza - Estagiário*
28 jun 2022 às 17:00
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Depois da ‘chuva de medalhas’ no Campeonato Paranaense de Kickboxing, em abril, dois atletas londrinenses foram a Vitória (ES) para lutar pelo pódio na edição nacional. E tiveram êxito. Os esportistas David Silveira e Ângelo Cantizani conquistam ouro e prata nas modalidades Kick Light Master e Low Kicks até 60 kg, respectivamente. Os títulos, no entanto, não vieram acompanhados de incentivo público. Silveira afirma que a FEL (Fundação de Esportes de Londrina) segue sem facilitar o apoio a eles, mesmo após constantes conquistas.

Continua depois da publicidade


LEIA TAMBÉM: Sem apoio formal, atletas de Londrina 'lutam' para disputar torneio de kickboxing

 

O atual presidente da fundação, Marcelo Oguido, havia dito que as verbas da FEL são concedidas através de editais do FEIPE (Fundo Especial de Incentivo a Projetos Esportivos), nos quais as entidades interessadas devem demonstrar interesse e participar da concorrência. No entanto, o atleta que se sagrou dez vezes campeão nacional afirma que o órgão da prefeitura não correspondeu às suas tentativas de participar do processo.

 

Continua depois da publicidade

“Infelizmente, a FEL não abre o leque para auxiliar os atletas que precisam entrar com projetos. Este ano, eu fui atrás inúmeras vezes, solicitando um norte e uma data de entrega para que eu não perdesse o dia e enviasse o projeto do jeito que eles pedem. Estou esperando [a resposta] até hoje”, diz David Silveira.

                                                                  

Na época em que o lutador entrou em contato pedindo ajuda, o presidente da FEL era Fernando Madureira, que atualmente é vereador em Londrina pelo PTB. Ao ser procurado, Madureira enfatizou que durante a sua gestão ninguém ficou sem resposta. Silveira, desmentindo a fala do ex-presidente, insiste em sua versão e diz que tem o histórico de conversas, inclusive com áudios. Questionado novamente, Fernando Madureira argumenta que nunca se negou a ajudar.

 

“Quando fala no meu telefone, eu respondo. Se não souber fazer o edital, vem aqui que a gente dá curso. Não tem outra atenção devida a não ser essa. Eu continuo à disposição sempre. A minha meta é contribuir para o esporte”, encerra o vereador.

 

A reportagem analisou o número de telefone que Silveira menciona. Trata-se do WhatsApp oficial da equipe de Madureira, pelo qual o atleta de kickboxing afirma ter entrado em contato e ficado sem resposta.

 

Procurado, Marcelo Oguido disse que se põe à disposição para atender e orientar Silveira nas próximas edições do processo.

 

Sacrifício e resultado


Por mais que não tenha apoio do setor público, os mais de 20 anos de carreira de David Silveira lhe proporcionaram o patrocínio – através de uma empresa privada - para ir de avião a Vitória. Porém, o lutador decidiu abrir mão do conforto para que mais atletas chegassem ao destino. Ele usou o dinheiro arrecadado para abastecer o seu carro na viagem de 1.500 km até o Espírito Santo, o que ajudou a levar mais quatro pessoas ao Brasileiro.

 

“Foram 22 horas de viagem que fui dirigindo. Foi muito cansativo. Ainda assim, cheguei lá na quinta, pesei de manhã e, no mesmo dia de noite, abri o evento com as minhas três lutas e fui campeão, conquistando o meu décimo título brasileiro”, recorda.


Silveira também é duas vezes campeão pan-americano, três vezes sul-americano, venceu cinco vezes a Copa Brasil e se consagrou campeão doze vezes no Paranaense, além de acumular lutas profissionais em seu currículo. 


LEIA TAMBÉM: Com ‘chuva de medalhas’ no paranaense, lutadores de kickboxing encontram dificuldades para ir a competição nacional

 

Foi graças ao sacrifício de Silveira que Ângelo de Souza Cantizani também trouxe uma medalha de prata para Londrina. O atleta que luta desde os dez anos sob a instrução de David Silveira conseguiu a medalha inédita em sua carreira, sagrando-se vice-campeão nacional. Além do segundo lugar no Brasileiro, Cantizani também já tem em seu currículo duas medalhas de ouro no Campeonato Paranaense e outras três em campeonatos abertos.

 

“Treinei muito nesses últimos meses e estava focado na conquista do ouro nesse campeonato. Infelizmente, não atingi meu objetivo, mas fiquei muito feliz de ter chegado ao segundo lugar no pódio, vencendo duas de três lutas. Os erros já estão sendo corrigidos nos treinos e estou ansioso pra aplicar os aprendizados nas próximas competições”, ressalta Cantizani.


David Silveira e Fábio Galvão, técnico da Seleção Brasileira de Kickboxing e Presidente da Federação Paranaense de Kickboxing



Representação política


David Silveira conclui dizendo que espera novos rumos para o esporte londrinense. O atleta afirma que vai se mobilizar para conseguir representantes que ajudem os esportistas nas próximas eleições.

 

“Daqui dois anos vai ser ano eleitoral em Londrina. Quem sabe nessa época eles vão lembrar da gente. No projeto que a gente tem lá no Aparecidinha [Zona Norte de Londrina] todos estão tirando o título de eleitor para tentar eleger um vereador, nas próximas eleições, que olhem para o esporte. São mais de três mil pessoas por lá e elas votam. Eles estão vendo o trabalho que fazemos por lá”, encerra.


*Sob supervisão de Fernanda Circhia

Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade