Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
ExpoLondrina 2013

Supersafra impulsiona vendas de máquinas agrícolas

Redação Bonde com assessoria de imprensa
14 abr 2013 às 20:05
Continua depois da publicidade

A supersafra colhida pelos agricultores brasileiros ajudou os expositores de máquinas e implementos agrícolas que participaram da ExpoLondrina a fechar bons negócios. Algumas revendas contabilizaram vendas entre 20% e 30% maiores do que no ano passado.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A DHL, revenda da marca Valtra, que participa da feira pela primeira vez, está comemorando os resultados. Segundo o executivo de vendas, Adailto Cirilo de Souza, as vendas foram boas, com 33 negócios fechados, entre eles, 25 tratores.

Continua depois da publicidade


"Se não fosse a queda do preço da soja, as vendas teriam sido ainda melhores", afirmou. Souza observou que a revenda participou de outras feiras no ano passado, e que, em comparação com resultados obtidos nelas, as vendas na ExpoLondrina tiveram acréscimo de 35%.


O representante comercial da Agricase, revenda da marca Case, Gilmar da Silva, também contabilizou crescimento de 20% nas vendas durante a ExpoLondrina. Este foi o quarto ano que a revenda participa do evento. "Devemos fechar um faturamento de R$ 7 milhões só durante a feira", afirmou. Segundo ele, a Agricase vendeu no Parque Governador Ney Braga seis colheitadeiras, 10 tratores e 17 implementos agrícolas.


Os resultados só não foram melhores, de acordo com alguns dos expositores, devido à queda nos preços dos grãos nas últimas semanas, o que acabou deixando os compradores um pouco retraídos.
O gerente geral da Horizon, revenda da marca John Deere, Martin Stremlow, afirmou que as vendas este ano foram boas, mas sem crescimento sobre o volume negociado no ano passado. "Ficaram (as vendas) dentro da expectativa, pois com a queda nas cotações das commodities faz com que os agricultores recuem na hora de comprar", analisou.

Continua depois da publicidade


Por outro lado, Stremlow observou que a política de juros do governo federal para o setor foi um fator favorável para os negócios. O financiamento para máquinas agrícolas, até junho, está com taxas de 3% ao ano, com 10 anos para pagar. O gerente disse também que as promoções que são feitas durante a ExpoLondrina são outro estímulo para os produtores procurarem a exposição para comprar. "O trabalho que nossa equipe de vendas faz antes da feira também reflete positivamente nas vendas", afirmou. Segundo ele, até ontem (sábado, 13), a revenda fechou 45 negócios. "Vendemos desde trator para jardins até colheitadeiras", comentou.


O gerente da Dimasa, revenda Massey Ferguson, Ney Mendes, informou que as vendas em seu estande na ExpoLondrina tiveram queda de 30% em relação ao ano passado. Mendes atribuiu à queda das cotações dos grãos o resultado das vendas este ano. "O produtor calcula o preço da máquina em sacas de soja. Se a cotação do grão caiu 20% ele eleva o preço do equipamento na mesma proporção", disse. Mesmo assim, a empresa fechou 30 negócios.

O gerente de vendas da Tupi Máquinas Agrícolas, Marcelo Pieri, contabilizou redução de 35% nas vendas em relação ao ano passado. "Este ano foi fraco. O preço da soja caiu e o pessoal tira o pé do acelerador. Não é a falta de dinheiro, é que o produtor está estocado, mas não está vendendo", comentou. Pieri observou que muita gente passou pelo estande. "Se não fechamos negócios agora, pelo menos temos clientes em potencial para trabalhar até o final do ano", comentou.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade