Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Comer, comer

Diversidade gastronômica é um dos pontos fortes da ExpoLondrina

Redação Bonde com assessoria de imprensa
14 abr 2015 às 15:23
Continua depois da publicidade

Ver os animais, passear pelos estandes, andar nos brinquedos do Parque de Diversões. Um passeio pela ExpoLondrina não está completo sem experimentar as delícias da culinária. Os restaurantes espalhados pelo Parque Ney Braga totalizam aproximadamente 1,6 mil lugares . A maioria oferece cortes de carne bovina, mas é possível apreciar a culinária oriental e o bacalhau.
O Restaurante Chopim, um dos mais tradicionais da feira, funciona há 19 anos no mesmo ponto. Tutu a mineira, feijão tropeiro, pernil assado e outras delícias da culinária mineira podem ser saboreadas em dois espaços com capacidade para 240 lugares.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

"Almoçar ou jantar na ExpoLondrina é um programa que faz parte das famílias londrinenses", afirma Carlos Alberto Malicheski, sócio-proprietário do restaurante. O preço do self-service da comida mineira é de R$ 28,50 e o tradicional R$ 26,50. O Chopim funciona das 11 às 15 horas e das 18 às 24 horas.

Continua depois da publicidade


Na Cia. da Picanha o carro-chefe é o espeto de picanha com acompanhamentos – feijão tropeiro, arroz, salada e maionese. "A picanha é assada na hora e o prato, que dá para servir três pessoas, é a cara da ExpoLondrina", garante Juvenil Silvestre da Silva, proprietário do restaurante. O espaço fica aberto das 11 às 24 horas e podem ser atendidas 150 pessoas por hora, segundo Silva.


Na Churrascaria Costelão, o prato mais pedido é o espeto de costela, que vem com acompanhamentos e serve até quatro pessoas. "A costela é uma carne saborosa e macia", diz José Donizete de Araújo, proprietário do estabelecimento, informando que o prato é comercializado a R$ 89. Além dos espetos e pratos executivos, há o sistema de self-service – R$ 26,90 por pessoa. "Para as excursões podemos negociar e reduzir o valor." O restaurante funciona das 11 às 23 horas e tem capacidade para 100 pessoas.
Já o Restaurante Matsuri oferece pratos da cozinha oriental. Serve no sistema self-service no almoço e a la carte no jantar. O prato executivo, com yakimeshi, tempurá, yakisoba e lombo, comercializado a R$ 25, é o mais pedido, segundo Marina Onishi, sócia-proprietária do estabelecimento. Com capacidade para 120 lugares, o restaurante funciona das 11 às 15 horas e das 18 às 23 horas. Todos esses estabelecimentos estão instalados no setor industrial.


Outro restaurante com cardápio oriental é o Koala, instalado na Praça da Alimentação próximo à pista central. O Combo Koala, com yakosoba, yakimeshi, salada de repolho agridoce e uma opção de prato quente – frango xadrez, isca de frango, tempurá ou lombinho – é o mais pedido pelos clientes. O combo sai por R$ 20. Segundo o proprietário Sérgio Onishi, também tem feito sucesso o temaki (de salmão ou o especial com cream chesse), vendido a R$ 15.

Continua depois da publicidade


Carneiro e bacalhau
O Sr.Zanoni, que vem pelo quarto ano consecutivo na ExpoLondrina, traz como novidade a porção de carneiro com molho de hortelã e acompanhamentos. O prato (R$ 69,90) serve para até quatro pessoas, de acordo com o sócio-proprietário Saulo Zanoni. Pratos tradicionais, como a picanha e o contrafilé na tábua, também fazem parte do cardápio do restaurante, que tem capacidade para 160 lugares, e fica aberto a partir das 12 horas . "Atendemos enquanto tiver cliente aqui."


Outro estabelecimento tradicional da cidade presente na Expolondrina é o Gelobel. Os pratos mais pedidos, de acordo com a sócia-proprietária Daniela Zanoni, são a costela, picanha e contrafilé com acompanhamentos. Os preços variam de R$ 53 a R$ 70. "O movimento cresce a cada ano, tanto que estamos pensando em pegar um segundo ponto", afirma. O espaço tem capacidade para 260 pessoas e funciona a partir das 11 horas.


Os proprietários da Costelaria Jardim, Mônica e Jamil Rassi, apostam nos cortes diferenciados de carnes nobres para atrair os clientes. "Garantimos a qualidade da matéria-prima", explica Mônica Rassi.
No cardápio, além de pratos como a picanha e o entrecotê angus, a costelaria traz como exclusividade o corte wagyu bass, carne bovina do Japão e considerada um dos mais nobres do mundo. Tem como características a maciez e suculência. Cada tábua é suficiente, segundo ela, para servir três pessoas. O prato executivo, festival de caipirinhas e música ao vivo (MPB e chorinho) nos fins de semana também são atrações da casa. O espaço tem capacidade para cerca de 80 pessoas e atende a partir das 11 horas.

A exemplo do Sr. Zanoni e do Gelobel, a Costelaria Jardim fica próximo à Casa do Criador.
Estreando na ExpoLondrina, o Boteco Ke Ry, está instalado próximo ao Parque de Diversões, tem capacidade para atender 400 pessoas nos três ambientes – deck ao ar livre, área externa climatizada e área interna. Além disso, há uma área infantil com recreação.
Segundo o gerente Teco Paiva, além dos grelhados de picanha, filé mignon e alcatra, outro destaque é o bacalhau à moda Ke Ry – peixe grelhado saborizado com alho e cebola e acompanhado de batata e arroz branco. No local também são oferecidos porções e lanches.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade