23/06/21
PUBLICIDADE
Cozinha árabe

Carneiro grelhado com sabor das arábias

Para atender os apreciadores da iguaria, restaurante londrinense oferece buffet diário de cordeiro grelhado

Existem mais libaneses em outros países que no próprio Líbano, que permanece entre os imigrantes e descendentes na figura do cedro, símbolo da força e imortalidade. Sobre essas raízes se mantém uma tradição milenar gastronômica, que combina requinte e generosidade.

À sombra dessa tradição, o cordeiro tem lugar à mesa, a representação da própria família libanesa, que sempre está disposta a demostrar afetuosidade, que os Dakkache mantêm há 43 anos, no Kiberama Restaurante.

Quatro décadas de história do restaurante fundado por Michel Dakkache continua com os filhos e a esposa, Sarah, explicando toda a tradição que tempera não somente o carneiro grelhado, mas os mais de 20 pratos servidos, diariamente, no buffet (R$ 23,90, o quilo).

O restaurante começou como uma pequena lanchonete, mas o salão acabou ocupando o que era a casa da família. O antigo balcão e outros objetos da época de Michel ainda fazem parte da decoração. ''O Kiberama era como se fosse uma parte do corpo do meu pai'', lembra Pedro Dakkache, filho e um dos herdeiros da tradição gastronômica do imigrante.

Tão forte como o cedro do Líbano, o prazer pela arte da cozinha na família Dakkache encontrou uma maneira de conquistar ainda mais os brasileiros que, entre outros motivos, buscam a culinária árabe por ser considerada saudável.

Além do quibe cru, grão de bico ao gergelim, berinjela, tripa de carneiro, tabule, charuto de repolho ou uva, abobrinha recheada e esfirras abertas ou fechadas, a carne grelhada foi incluída no buffet por essa exigência do paladar brasileiro, que faz questão de um tipo de carne.

A escolha de um animal jovem garante o sabor do prato, que começa a ser preparado de um dia para o outro. Os pedaços de bisteca e costela são marinados numa vinha de alho, hortelã, sal e vinho branco.

A carne tenra incorpora os temperos, que se desprendem com o calor do fogo numa química entre sabor e aroma que não resiste ao trocadilho em ser considerada das arábias - uma tradução para o requinte e a generosidade da cozinha libanesa para um prato tão importante para essa culinária, como o cedro é do Líbano.
Francismar Lemes - Folha de Londrina
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Mercado de carnes

Londrinense consome mais carneiro do que brasileiro

Arroz com carneiro
Lembranças...

Arroz com carneiro

Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados