23/06/21
PUBLICIDADE

Salada oriental de arroz negro: Veja outras combinações para pratos leves

Dê sua nota:
Média:
0 votos
Rendimento
Rende
6 porções
Preparo fácil
Ingredientes
- 1 xícara (chá) de arroz negro
- 200 g de cogumelo paris ou portobello
- 1 cenoura grande
- 1 brócolis ninja pequeno
- 1 xícara (chá) de cebolinha picada
- 1 xícara (chá) de castanha de caju torrada
- ¼ xícara (chá) de molho de soja
- 1 colher (sopa) de açúcar
- 2 colheres (sopa) de vinagre de arroz
- 1 colher (sobremesa) de óleo de gergelim
- 1 colher (sopa) de gengibre fresco ralado
- 1 colher (sopa) de mirin
- 4 colheres (sopa) de azeite de oliva
- Sal a gosto
Modo de preparo
- Cozinhe o arroz em um litro e meio de água, com um pouco de sal, até que fique macio (cerca de 30 minutos). Escorra e reserve

- Lave o brócolis, corte em floretes pequenos e tempere com sal e metade do azeite. Leve ao forno quente (230ºC) em uma assadeira por cerca de 15 minutos, até que o brócolis esteja começando a ficar com as pontas escuras. Reserve

- Corte os cogumelos em quatro, tempere com pouco sal e doure em uma frigideira com o restante do azeite por cerca de 10 minutos. Reserve

- Nessa mesma frigideira, faça o molho. Adicione o gengibre ralado, o óleo de gergelim e o molho de soja e deixe ferver. Coloque os demais ingredientes e espere levantar fervura de novo. Deixe reduzir por três minutos, desligue o fogo e reserve

- Rale a cenoura, pique a cebolinha e pique grosseiramente a castanha. Se quiser, passe as castanhas em frigideira quente por um minuto para que ganham mais crocância

- Monte a salada, misturando o arroz, o cogumelo, o brócolis e a cenoura. Coloque por cima as castanhas e a cebolinha. Sirva com o molho

Curioso!

Você pode se surpreender ao saber que existem mais de 100 mil espécies de arroz. Claro que, no dia-a-dia, consumimos apenas uma fração delas, mas, mesmo com um número limitado de tipos, é possível dizer que há arroz para todos os gostos e para vários tipos de preparação: os longos do arroz branco de todo dia, os glutinosos da comida japonesa, de risoto com mais amido, os aromáticos como o basmati e os pigmentados como o negro e o vermelho, entre outros.

Esses últimos são cereais esteticamente bonitos e muito estáveis no cozimento. O que significa que podem ser cozidos em água abundante e escorridos, além de demorarem mais tempo para ficarem prontos. Essa característica de firmeza faz com que sejam ótimos para saladas. Sim, salada de arroz é uma realidade.

Grãos como o vermelho e o negro –e em certa medida o integral e as misturas do tipo sete grãos– ficam perfeitos em combinações frias, que podem constituir refeições inteiras.

Para a receita de hoje, combinei o arroz negro a brócolis, cenoura, cogumelo, cebolinha, castanhas e um molho oriental. A dica para fazer sua própria combinação é pensar que o arroz é o carboidrato, então, é possível adicionar proteína, legumes, crocância e molho, que vai conferir acidez.

Uma opção árabe poderia ter arroz sete grãos, berinjela, romã, tomate-cereja, nozes e um molho à base de tahine (pasta de gergelim). Já uma versão mediterrânea iria com arroz vermelho, queijo de cabra, damascos, hortelã, amêndoas e um vinagrete de mel. As possibilidades são enormes e muitos saborosas. A dica aqui é não pensar que arroz pode ser servido apenas com feijão e deixar a imaginação fluir para dar cor e sabor à estação mais quente do ano.
Fonte da receita: Folhapress
 
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Salada de arroz
Integral

Salada de arroz

Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados