27/09/20
°/°
Há complicações

Varizes atingem cerca de 40% da população; tire suas dúvidas sobre o tema

iStock
iStock


As varizes caracterizam uma doença que acomete 40% da população brasileira adulta, segundo a SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular). As mulheres são as mais afetadas pela doença, correspondendo a 70% dos casos.


A aparência incomoda, mas a sensação de pernas pesadas, cansaço, dores e até câimbras assombram as pessoas.

Rogério Yoshikazu Nabeshima, cirurgião vascular de Apucarana, explica que as varizes são veias dilatadas, tortuosas e com a presença de refluxo.

"As veias têm a função de levar o sangue das pernas em direção ao coração, porém, quando ocorre o refluxo, ao invés do sangue fluir para o coração, ele desce e fica retido nas pernas e pés, ocasionando os sintomas característicos”, comenta.

Nabeshima observa que as varizes precisam ser tratadas de forma adequada. "A falta de cuidado médico pode levar a complicações como flebite (inflamação das veias), úlceras venosas (feridas) e até predispor à formação de TVP (Trombose Venosa Profunda).

"A trombose ocorre quando há a formação de coágulos (trombos) nas veias profundas da perna, bloqueando ou dificultando a passagem de sangue, causando muita dor e edema no membro acometido. Além disso, as complicações comprometem a mobilidade e, consequentemente, a qualidade de vida”, ressalta.

Especialista em cirurgia vascular e cirurgia endovascular, ele faz questão de explicar uma dúvida muito comum: a diferença entre vasinhos (telangiectasias) e varizes. "Varizes são veias dilatadas e tortuosas com calibre acima de 3mm de diâmetro, que ficam saltadas à pele. Já os vasinhos são veias bem fininhas e incomodam mais pelo aspecto estético, embora também possam causar sintomas”, sublinha.

Tratamentos

O cirurgião vascular observa que há uma gama de tratamentos para o paciente. Para ele, não existe um tratamento ideal para varizes, mas sim, o mais indicado de acordo com cada paciente. Porém, em linhas gerais, para casos de telangiectasias (vasinhos), o mais comum é a escleroterapia, mais conhecida como aplicação.

"Para varizes reticulares (maiores que vasinhos e menores de 3mm de diâmetro), pode-se também optar por aplicação, microcirurgias com anestesia local, aplicação de espuma e laser transdérmico. Já em casos de varizes tronculares (acima de 3mm de diâmetro), que representam maior gravidade, o melhor tratamento é o cirúrgico. A cirurgia pode ser convencional, e através de métodos ablativos como o laser endovenoso ou a radiofrequência”, complementa as opções.

Cirurgia de varizes

Outra dúvida frequente, segundo Nabeshima, é se o sistema circulatório fica comprometido com as veias retiradas.

"A cirurgia não compromete o sistema vascular da pessoa, uma vez que as veias afetadas pelas varizes são superficiais e não representam significativamente a quantidade de sangue no sistema venoso dos membros inferiores. Além disso, são veias doentes que comprometem a circulação venosa”, diz.

"A mesma lógica é aplicada também no caso da veia safena. Quem não tem a safena, pode utilizar outras veias do corpo ou até algumas artérias, como a artéria radial ou a artéria da mama interna. Deve-se lembrar que a retirada da veia safena só será feita se ela estiver comprometida. E nesses casos, uma veia safena dilatada e insuficiente, não tem condições de ser utilizada como ponte para cirurgias cardíacas ou para enxertos em membros inferiores”, esclarece.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Boletim da Sesa
Paraná confirma mais 1.126 pacientes com Covid-19 e 14 mortes
27 SET 2020 às 19h50
Boletim
Londrina tem mais duas mortes por Covid-19 e se aproxima dos 10 mil casos
27 SET 2020 às 19h41
Saiba mais
Dia do Idoso: pandemia, saúde mental e física são desafios
27 SET 2020 às 18h46
Boletim
Maringá ultrapassa 8 mil casos confirmados de Covid-19
27 SET 2020 às 17h22
Confira!
Apucarana tem mais dez casos de Covid-19; total é de 1.274
26 SET 2020 às 16h50
Saiba mais
Maringá confirma mais um óbito e cem casos de Covid-19
26 SET 2020 às 16h46
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados