Pesquisar

Canais

Serviços

Outro benefício da natação para bebês está relacionado ao sistema cardiorrespiratório - Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Diversão e socialização

Natação proporciona coordenação e equilíbrio do bebê

Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A prática da atividade física faz bem ao corpo e a mente das pessoas em qualquer idade, principalmente a partir dos seis meses de vida. Uma das modalidades que proporciona o bem-estar aos bebês e a única recomendada para os pequenos com menos de um ano de idade é a natação infantil, que ajuda na alimentação, socialização, coordenação motora, equilíbrio e principalmente no desenvolvimento.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

"Ambientar uma criança com exercícios na água é excelente para a saúde, pois é um estímulo das capacidades motoras e psicológicas, além de ser uma completa diversão entre pais e filhos", declara a professora de natação da Academia Gustavo Borges de Londrina, Rosimeire Miranda Faria. Segundo ela, as atividades na piscina vão além, pois contribuem para que a criança se torne um adulto ágil, saudável e com flexibilidade.

Continua depois da publicidade


Outro benefício da natação para bebês é relacionado ao sistema cardiorrespiratório. "Durante as atividades são exigidos muitos movimentos e a criança que nada respira melhor e corre muito menos risco de sofrer de problemas de coração", afirma. Dificuldades em relação ao sono do bebê também é outro ponto positivo, já que o exercício no meio líquido faz com que os pequenos consigam dormir melhor, ficando mais calmos e descansados.


Mas para a realização das atividades na água é necessário a professora orienta respeitar os limites de cada criança e estimulá-los com atividades diferenciadas de acordo com a idade. "Entre os seis meses e um ano trabalhamos na Gustavo Borges a flutuação, propulsão, respiração e potência. Além disso, os pais entram na água com seus filhos em uma maravilhosa experiência ao meio líquido e explorando de um modo muito especial", explica Rosimeire.

A sociabilização com outras crianças também é muito explorada, segundo ela, além do desenvolvimento das primeiras habilidades aquáticas. "O esporte nesse caso deve ser visto como uma diversão e não obrigação, e de forma lúdica e recreativa. Dessa forma será saudável tanto para o físico como o psicológico do bebê", conclui a professora de natação.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade