Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Sintomas e recomendações

Anvisa emite informe de segurança sobre reações adversas a cosméticos

Redação Bonde com Agência Brasil
24 jun 2024 às 17:36
- Merlin Lightpainting por Pexels
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Um informe de segurança sobre a importância de reconhecer e relatar reações adversas, decorrentes do uso de produtos cosméticos, foi publicado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). 


No documento, a agência destaca que os produtos cosméticos são amplamente utilizados e geralmente seguros, mas que, apesar disso, é essencial estar atento a qualquer reação adversa que possa surgir a partir do uso.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A proposta do documento é garantir que os consumidores estejam cientes dos sinais de possíveis reações adversas e da necessidade de registrar essas ocorrências nos canais oficiais da agência. “O registro nos canais da Anvisa é fundamental para que a agência possa tomar as medidas necessárias para garantir a segurança dos produtos disponíveis no mercado brasileiro.”

Leia mais:

Imagem de destaque
Imunização

Paraná cria força-tarefa com municípios para aumentar cobertura vacinal

Imagem de destaque
Entenda

Ministério da Saúde alerta para riscos de grávidas com febre do oropouche

Imagem de destaque
Alerta

Internações de bebês por problemas respiratórios bateram recorde em 2023, aponta Fiocruz

Imagem de destaque
Estratégia de redução de danos

Países adotam vapes para reduzir uso do cigarro, mas não há consenso científico sobre estratégia


A Anvisa explica que os relatos de reações adversas à saúde podem ser registrados por alguns canais. Para os cidadãos, os registros devem ser feitos pelo Limesurvey ou e-Notivisa; para as empresas e profissionais, através do Notivisa (após cadastro) e por fim, outros profissionais devem notificar a Anvisa através do Limesurvey.

Publicidade


Sintomas

No informe, a Anvisa destaca que as reações adversas decorrentes do uso de produtos cosméticos podem variar em gravidade, desde irritações leves na pele até reações alérgicas graves que necessitam de atenção médica imediata.

Publicidade


Alguns sinais de reações adversas incluem:


- irritação cutânea: vermelhidão, coceira, queimação, ardência ou descamação na área de aplicação do produto;

Publicidade

- inchaço ou edema: aumento anormal de volume na pele ou tecidos adjacentes após o uso do produto;

- erupções cutâneas: lesões cutâneas, manchas, bolhas ou erupções que não estavam presentes anteriormente;

Publicidade

- sensibilidade extrema: aumento da sensibilidade da pele a outros produtos ou substâncias após o uso do produto cosmético.


Outros sinais citados pela agência são tontura, falta de ar, náuseas ou outros sintomas sistêmicos que possam indicar uma reação alérgica generalizada.

Publicidade


Recomendações

A Anvisa reforça a importância de conferir se os produtos cosméticos a serem adquiridos estão devidamente regulamentados na agência, além de seguir as instruções de uso.


Para verificar se um produto cosmético está regularizado é preciso identificar, no rótulo, o número do processo na Anvisa. Esse número começa com 25351 e segue o modelo 25351.XXXXXX/20XX-YY. A consulta pode ser feita no endereço eletrônico.


Caso o consumidor experimente qualquer um dos sinais de reações adversas mencionados anteriormente, as recomendações incluem interromper o uso do produto imediatamente, lavar a área afetada com água em abundância e, caso os sintomas persistirem ou piorarem, procurar atendimento médico. 


Imagem
Mérito do aumento salarial da GM é indiscutível, mas é preciso ter legalidade, diz presidente da Câmara
A CML (Câmara Municipal de Londrina) encerrou a segunda semana seguida com os projetos de lei que aumentam o salário da GM (Guarda Municipal) movimentando o Legislativo.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade