Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Aumento de internações

Chegada do inverno eleva casos de síndrome respiratória no país, diz Fiocruz

Folhapress
21 jun 2024 às 16:37
- Reprodução/Canva
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O boletim InfoGripe, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), divulgado nesta quinta-feira (20), mostra aumento das internações por quadros de Srag (síndrome respiratória aguda grave) causadas pelo VSR (vírus sincicial respiratório) e pela Influenza A, vírus da gripe, no Centro-Sul do país.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
9,3 milhões sem tratamento

Uma pessoa morre por minuto no mundo por causas relacionadas à aids

Imagem de destaque
Investigação

Atores interpretam médicos para vender produtos que prometem resultados milagrosos, diz Cremesp

Imagem de destaque
Uma em SC

Ministério da Saúde investiga quatro mortes suspeitas de febre oropouche

Imagem de destaque
Melhor resposta epidemiológica

De janeiro a junho, Lacen processa 13.298 amostras de vírus respiratórios

O VSR é o principal agente causador de bronquiolite em bebês, uma doença respiratória comum e altamente contagiosa cujos sintomas principais são tosse e falta de ar. Em geral, os casos são leves, mas podem resultar em internações hospitalares.

Publicidade


A alta circulação do VSR afeta a incidência e mortalidade nas crianças pequenas. Outro vírus com destaque para a incidência em crianças é o rinovírus. Nas últimas oito semanas, a mortalidade por Srag foi semelhante entre crianças pequenas e idosos. A mortalidade da população com mais de 65 anos é mais associada ao Covid e à Influenza A.


No cenário nacional, há um sinal de estabilidade nos quadros de Srag nas tendências de longo prazo (últimas seis semanas) e de curto prazo (últimas três semanas). Segundo o boletim, a estabilidade é explicada por uma queda ou interrupção no crescimento das Srag por VSR e Influenza A em muitos estados do país, embora ainda estejam em ascensão em alguns estados do território nacional, especialmente na região Sul.

Publicidade


Porém, devido às inundações do Rio Grande do Sul, a Fiocruz alerta que os dados mais recentes devem ser analisados com cautela por conta dos eventuais impactos na capacidade de atendimento e registro dos casos de Srag no estado gaúcho.


Marcelo Gomes, pesquisador e coordenador do InfoGripe, entende que o aumento das internações pode estar associado com o início do inverno, quando a transmissão de vírus respiratórios se intensifica.

Publicidade


Na atualização, 11 unidades federativas apresentam sinal de crescimento de Srag na tendência de longo
prazo: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte,
Rio Grande do Sul, Roraima e São Paulo. Em contraste com outros estados do país, Acre, Amazonas e Amapá ainda mostram crescimento de internações em crianças por VSR.


Em 2024, foram notificados 78.835 casos de Srag, o 38.361 (48.7%) eram positivos, 28.662 (36.4%) negativos e 7.398 (9.4%) aguardam resultado laboratorial. Nas últimas quatro semanas, os vírus que mais prevaleceram entre os casos positivos foram: VSR (51%), Influenza A (22,6%), Covid-19 (5,2%) e Influenza B (0,6%). Entre os casos de morte com resultado positivo para algum vírus respiratórios, tem-se Influenza A (46%), Influenza B (0,3%), VSR (22,6%), e Covid-19 (22,9%).


O estudo tem como base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até o dia 17 de junho.


Imagem
Saúde vai mudar emissão de atestados médicos para evitar fraudes em Londrina
A partir de 1º de julho os atestados médicos fornecidos pelas unidades municipais de saúde de Londrina, como UBS (Unidades Básicas de Saúde) e UPA (Unidades de Pronto Atendimento), serão impressos de forma eletrônica diretamente do prontuário do paciente.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade