Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Facebook
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Informe-se!

Entenda melhor a tromboembolia pulmonar, que levou à morte de Paloma Pissinati

Luís Fernando Wiltemburg - Redação Bonde
26 nov 2021 às 17:37
Continua depois da publicidade

A tromboembolia pulmonar é uma doença de característica aguda e de alto grau de mortalidade, por impedir que o sangue que foi para o pulmão para ser purificado retorne para o coração e seja bombeado novamente para o corpo. Foi esta a doença que vitimou, na quinta-feira (25), a secretária municipal de Saúde de Rolândia (Região Metropolitana de Londrina), Paloma Pissinati. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Ela sofreu morte encefálica nesta quinta-feira (25), após internação desde a última segunda (22) na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do HU (Hospital Universitário) de Londrina. Uma embolia pulmonar lhe levou a duas paradas cardiorrespiratórias. 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


LEIA MAIS: Paloma Pissinati é velada nesta sexta-feira em Londrina


O falecimento da secretária, que era formada em enfermagem, é ainda mais impactante por se tratar de uma mulher jovem, de 31 anos, e que tinha uma vida profissional e acadêmica profícuas.


De acordo com o cardiologista e professor de Bioética da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Londrina José Eduardo de Siqueira, a tromboembolia é comum em pessoas que passam por grandes períodos em repouso, como pós-operatórios, ou que tenham problemas vasculares como insuficiência venosa ou varizes, que podem provocar coágulos nas veias das pernas. Também pode ocorrer de haver uma alteração em uma substância do corpo que coagula o sangue, formando o trombo (outro nome para o coágulo).

Continua depois da publicidade


Ao se movimentar, este trombo pode sair da veia e seguir para a cava do coração, de onde parte para o pulmão para a troca de gás carbônico por oxigênio para voltar ao coração e ser bombeado por todo o corpo. A tromboembolia impede o retorno do sangue e provoca paradas cardíacas, provocando alto nível de casos fatais. “A pessoa morre em choque”, explica o médico.


Segundo Siqueira, quando detectado a tempo, é possível inserir um cateter (um tubo plástico que se insere em cavidades do corpo para diversas finalidades) e, por meio dele, injetar um anticoagulante para desfazer o tromboembolismo. 


Mesmo sem ter tido acesso ao prontuário médico de Pissinati, mas com base em informações veiculadas pela imprensa, o médico avalia que os procedimentos adotados pelos profissionais do HU foram os corretos.


É possível prevenir?


Siqueira explica que a trombose (a formação do coágulo) é um processo de difícil identificação, mas que a prevenção não é complicada. De acordo com ele, como a maioria dos coágulos vêm das pernas, as atividades motoras, como alongamento e caminhada, são os mais indicados para prevenir estas ocorrências. “Quando a pessoa caminha, o músculo da perna se contrai e, contraindo, provoca uma espécie de movimento de ‘ordenha’, que faz o sangue das pernas circular”, ensina.


Vacina contra Covid-19 pode ter provocado tromboembolia pulmonar?


O cardiologista  José Eduardo de Siqueira desmentiu uma fake news que circulou nas redes sociais, associando o fato de a secretária de Saúde de Rolândia ter tomado as duas doses da vacina contra o coronavírus e a ocorrência da tromboembolia pulmonar.


“Isso é uma mentira, uma ‘fake news””, sentenciou. Segundo Siqueira, uma tromboembolia pulmonar só ocorre se com pacientes com a doença ainda ativa no corpo, porque o vírus provoca uma inflamação dos pulmões que pode levar à criação de coágulos no próprio órgão, ocorrendo, então, a tromboembolia pulmonar.


A mentira, propagada quando a secretária ainda estava sob cuidados médicos, também provocou a reação da assessoria de imprensa da Prefeitura de Rolândia, que emitiu nota desmentindo a notícia falsa.


Leia, abaixo, na íntegra, a nota do dia 24 de novembro:


A equipe da secretaria de Saúde vem a público agradecer as manifestações de apoio e orações pela vida da nossa secretária Paloma Pissinati, que está na UTI, do HU, em Londrina.


De modo desrespeitoso e com mentiras (fake news), beira o absurdo algumas insinuações em redes sociais e grupos de WhatsApp.


Paloma sempre lutou para disponibilizar a vacina e proteger a população. Ela acredita na ciência e ainda não tomou a terceira dose contra a covid-19 por que não havia chegado sua vez, para tomar o reforço. Ela tomou duas doses.


Paloma sempre trabalhou muito para proteger todos, disponibilizando  médicos  no PA e conseguindo as vacinas para oferecer  a maior cobertura  vacinal possível  à  população! 


Felizmente, em nenhum momento durante a pandemia, ela positivou para a Covid-19 e que mesmo agora ela está  negativa para a doença.


Ela está internada por outros motivos, que desencadearam a embolia pulmonar.


Momento de orar, rezar, torcer. Ter respeito. E sem insinuações, mentiras nem fake news.

Continue lendo