Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Melhor qualidade

Samu do Paraná terá sistema de radiocomunicação digital

Agência Estadual de Notícias
25 jul 2014 às 09:21
- AENotícias
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Paraná vai migrar do sistema de radiocomunicação analógico para o digital a partir deste ano. A mudança vai melhorar a qualidade da transmissão de informações entre as centrais de regulação e as equipes que atuam no resgate e atendimento pré-hospitalar da população.

Os novos equipamentos estão sendo instalados em todas 183 ambulâncias e 12 centrais de regulação do Samu em funcionamento no Estado. Além disso, 80 antenas repetidoras vão garantir a cobertura do sinal digital em todo o território paranaense.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo o coordenador de Urgência e Emergência da Secretaria estadual da Saúde, Vinícius Filipak, o sistema digital permite uma comunicação mais clara entre os profissionais, aumenta o alcance da cobertura do sinal e facilita o trabalho de localização das ambulâncias, visto que os aparelhos operam com GPS integrado.

Leia mais:

Imagem de destaque
Alarmante

Em Londrina, mortes por dengue disparam 400% em um ano

Imagem de destaque
Impasse

Dois meses depois de publicação do edital, obra da UPA Sol em Londrina segue em aberto

Imagem de destaque
Alerta

11 de abril é Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença de Parkinson: entendendo e enfrentando os desafios

Imagem de destaque
1.256 mortes pela doença

Brasil tem mais de 3 milhões de casos de dengue desde janeiro de 2024


"Desta forma, as centrais de monitoramento podem acompanhar o deslocamento das ambulâncias em tempo real, inclusive verificando as melhores rotas e calculando o tempo de chegada até o local de destino", destaca o coordenador.


Outra diferença é que, diferente do sistema analógico, a transmissão digital só pode ser recebida por aparelhos previamente configurados, o que torna a comunicação mais segura e sigilosa. "Este tipo de frequência garante a confidencialidade das informações e acaba com a possibilidade de interferência", informa Filipak.

Até agora, a radiocomunicação digital já foi implantada em Curitiba e Região Metropolitana, Foz do Iguaçu e Litoral. As próximas regiões beneficiadas serão Apucarana e Maringá. A intenção é finalizar esse processo de conversão até dezembro deste ano.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade