Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Vote!

Site do Senado faz votação sobre legalização do aborto

Mariana Sanches - Redação Bonde
04 jul 2018 às 15:58
- Bruno Nomura/Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O site do Senado está com uma consulta pública de votação para "regular a interrupção voluntária da gravidez, dentro das doze primeiras semanas de gestação, pelo sistema único de saúde".

Na ementa, o texto se apoia em números do Ministério da Saúde que apontam para a ocorrência de mais de 1,25 milhão de abortos ilegais, por ano, no Brasil. Ainda de acordo com o documento, alguns dos problemas que levam mulheres a procurarem clínicas clandestinas de aborto são problemas familiares, a ausência ou falta de apoio do pai, problemas financeiros para cuidar de um filho, insuficiência de programas de apoio financeiro para as famílias e a falta de acesso ou a rejeição a métodos contraceptivos. Até quarta-feira (4), a votação estava em 280.102 votos a favor e 280.126 contra. Para participar da consulta pública basta clicar aqui e acessar o site do senado.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


No dia 22 do mês passado, uma manifestação a favor da legalização do aborto no Brasil foi realizada em Londrina. Em oposição, no mesmo dia, a Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos promoveu um terço "em prol da vida".

Leia mais:

Imagem de destaque
Mais investimento

Brasil registra 45% de cobertura em saúde bucal; meta é chegar a 70%

Imagem de destaque
Saiba mais

Pesquisa da UENP analisa saúde da mulher no Paraná

Imagem de destaque
Plásticas

Mulheres vítimas de violência serão priorizadas em cirurgias reparadoras feitas no SUS

Imagem de destaque
Saiba mais

Ultraprocessados são associados a doenças cardíacas em estudo

Recentemente, a Câmara dos Deputados da Argentina aprovou o projeto que descriminaliza o aborto nas primeiras 14 semanas de gestação, com 129 votos a favor, 125 contra e uma abstenção. Já na última terça-feira (4), o Senado argetino iniciou a discussão em comissões do projeto e a Câmara alta irá debater no dia 8 de agosto. Se a lei for aprovada pelo Senado e sancionada pelo presidente Maurício Macri, a Argentina será um dos poucos países da América Latina a descriminalizar a prática, ao lado de Cuba e do Uruguai.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade