06/04/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
|
Boca nervosa

Fome infinita? Descubra qual hormônio é responsável e como driblar este problema

Na correria do dia a dia, mesmo quando nos alimentamos bem é comum termos a sensação de estarmos sempre com fome. Quem tem a chamada "boca nervosa" sabe bem como essa sensação pode ser incômoda e gerar grandes prejuízos à saúde. Contudo a solução para esse problema é simples, basta controlar o famoso "hormônio da fome". A grande questão é como fazer isso.

Esse hormônio, oficialmente chamado de grelina, é produzido principalmente pelo estômago. Sempre que ficamos sem comer, nosso estômago intensifica a secreção desse hormônio que, imediatamente, emite uma mensagem para o nosso cérebro avisando sobre essa ausência de comida. Quanto mais elevada for a produção, maior será a sensação de fome e esta só passa depois que nos alimentamos novamente.


Uma curiosidade é que a quantidade de grelina em obesos não é necessariamente maior do que em pessoas com o peso ideal, por isso é tão comum ouvirmos muita gente reclamando dessa fome infinita.

No Brasil, isso ocorre muito devido ao nosso modelo de alimentação. Em geral, costumamos misturar carboidratos, gorduras e proteínas em todas as refeições. Contudo, esses grupos, por serem absorvidos pelo nosso estômago de formas diferentes, influenciam muito na liberação do hormônio da fome.

Para termos a sensação de saciedade por mais tempo, o ideal seria organizar o consumo desses alimentos para evitar a liberação da grelina. Um modelo eficiente, por exemplo, seria se ingeríssemos primeiro a carne, as verduras, os legumes e só depois o arroz e o feijão. Mas há formas de driblar este problema.

Fibras e proteínas
Os alimentos com fibras demoram mais para ser digeridas, por isso elas dão a sensação de saciedade e a vontade de comer demora a aparecer. Comer alimentos fibrosos durante a manhã, por exemplo, ajuda dar energia para o resto do dia.

As fibras estão tanto nos produtos integrais, como nos legumes, como brócolis, couve e repolho verduras e frutas, como maçãs, laranjas, peras e morangos.

Comer proteínas nas refeições principais ajuda na saciedade do nosso organismo por mais tempo. Além da carne, o feijão, grão de bico e lentilhas também são ótimas fontes e alternativa. Pelo mesmo motivo das fibras, as proteínas demoram mais tempo para sofrer digestão.

Comer de tempo em tempo
Comer de três em três horas, no mínimo, é uma forma de não ficar muito tempo sem comer, assim, quando for almoçar ou jantar, você ingere menos alimentos. Essas refeições intermediárias podem ser castanhas, lanches leves. frutas ou chocolates amargos. Essas refeições são recargas temporárias, então a quantidade de alimento ingerido não deve ser muito.

Rotina do dia a dia
No mercado, evite comprar alimentos que você quer evitar comer. Faça uma lista antes de sair de casa e não saia dela, além disso, evite ir ao mercado com fome.

Evitar distrações podem ajudar. Sites, fotos ou livros sobre comida podem despertar aquela vontade de comer. Se o objetivo for evitar comer fora de hora ou de modo errado, vcê tambem deveria evitar este tipo de distração.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
12 mortes e 466 casos
Paraná registra duas novas mortes por Covid-19 e 21 novos casos
06/04/2020 15:11
Só o começo
Dimensão da pandemia no Brasil será percebida nas próximas semanas
06/04/2020 10:56
Ciência brasileira
Pesquisadores da USP desenvolvem ventilador pulmonar de baixo custo
06/04/2020 09:57
Mais de 9 mil mortes
Coronavírus: Estados Unidos têm mais de 1.200 mortes em 24 horas
06/04/2020 09:45
Vitamina D
Mesmo com isolamento, exposição moderada ao sol não deve ser esquecida
06/04/2020 08:11
Veja mais e a capa do canal