Pesquisar

Canais

Serviços

Segundo o ginecologista, durante cada trimestre a gestante deve focar em alimentos e vitaminas específicos - Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Gestação pede mais nutrientes

Folha de Londrina
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A gravidez traz alegrias, mas também alguns receios. Muitas mulheres têm medo de ganhar peso e mudar o corpo definitivamente. Algumas fazem até regimes durante a gestação, o que pode ser prejudicial a elas próprias e ao bebê. Considerando a importância da alimentação equilibrada durante essa fase, o ginecologista e obstetra Flávio Garcia de Oliveira elaborou o livro ''Receitas para Grávidas'' (editora idéiaeação), com 50 receitas e cardápios variados.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

''Sempre digo que a mulher não precisa ter medo. Quando engorda com uma alimentação saudável, perde tudo rapidamente depois do nascimento do bebê. O peso vai para a criança. E há muitos quilos só de água, placenta'', ressalta. ''O objetivo é ter um ganho de peso adequado, com os alimentos certos.''.

Continua depois da publicidade


Michelle Cristine Crunetti Turini, 30 anos, está no final da gravidez. Ela completou 36 semanas e a pequena Isabella deve chegar no fim deste mês ou no início de fevereiro. Michelle, que é naturalmente magra, não ficou se preocupando com peso e continua comendo tudo que gosta, inclusive bastante massa. ''Meu único cuidado foi incrementar um pouco o consumo de frutas, que eu não comia muito antes de engravidar'', conta. Ela engordou 14 quilos e está tranquila: ''O médico já me disse que vou perder peso rapidamente depois que a neném chegar'', aponta.


Segundo o ginecologista, durante cada trimestre a gestante deve focar em alimentos e vitaminas específicos. Nos primeiros três meses, os principais são o ácido fólico e vitaminas do complexo B. ''É a fase em que todos os órgãos do bebê estão se formando: o ácido fólico auxilia na formação, principalmente do sistema nervoso. Ao mesmo tempo, previne a trombose e a anemia. A vitamina B também controla a formação dos órgãos'', explica.


No segundo trimestre, o objetivo é ganhar bastante peso - pois, no final da gestação, a mulher já não consegue comer muito. Ingerir ferro e fibras é essencial a partir do quarto mês. ''O intestino começa a ficar lento para absorver os nutrientes, há constipação e uma tendência para aumentar o volume do sangue. Por isso, a mulher precisa de fibras e ferro. Ela pode perder até 1,5 litro de sangue num parto por cesária.''

Continua depois da publicidade


Finalmente, durante o terceiro trimestre, os nutrientes mais importantes são o cálcio e o ômega 3. ''É o período de formação óssea do bebê, e a gestante corre o risco de ter osteoporose, por causa da perda de cálcio'', revela. O médico recomenda tomar 1 grama de cálcio diariamente, ou quatro copos de leite. Durante a amamentação, o consumo sobe para 1,5 grama por dia. O cálcio previne ainda a pré-eclâmpsia - caracterizada pelo inchaço e pressão alta, que acomete 8% das grávidas.


Já o ômega 3 está relacionado aos processos cerebrais da mãe e do bebê. ''O cérebro da grávida encolhe de 2% a 3% no último trimestre, o que costuma ocasionar lapsos e falta de atenção. Há estudos internacionais que constataram que as gestantes que ingerem ômega 3 apresentam essas ocorrências com menor frequência. E o nutriente também previne os partos prematuros.''

Entre as receitas do livro, têm destaque as carnes - de vaca, frango, porco e peixe. E como ficam as mulheres vegetarianas? ''A carne vermelha reúne proteínas e ferro. A proteína pode ser absorvida pelo leite, ovos e soja, mas esses alimentos não têm ferro'', informa. ''Quando a gestante vegetariana controla bem isso, comendo gema de ovo, por exemplo, tudo bem, apesar de o ferro vegetal não ser tão bem absorvido quanto o animal. Se não come ovo, começa a ficar preocupante.''


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade