05/08/20
25º/13ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Saiba mais

Nutricionista dá dicas de alimentos benéficos à saúde cardíaca

De acordo com a última pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) as doenças que mais causam mortes no mundo são as cardiovasculares: infarto, AVC e insuficiência cardíaca. No Brasil, uma pessoa a cada dois minutos vai a óbito por males no coração, o que coloca o país entre os dez com o maior índice desse tipo de mortalidade. São muitos os motivos responsáveis pelo desenvolvimento de doenças cardíacas – como hipertensão, diabetes, colesterol elevado, tabagismo, estresse, genética, entre outros – porém todos eles podem ser agravados com uma alimentação repleta de sal e gorduras. Para orientar sobre refeições saudáveis aos cardíacos, a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão Cintya Bassi dá algumas dicas.

"Os alimentos que favorecem a saúde do coração são as frutas, verduras, legumes, queijos magros, peixes, carnes e aves magras, alimentos integrais e ricos em fibras, óleos vegetais, soja e cacau", exemplifica a nutricionista. Segunda ela, o ideal é comer alimentos considerados cardioprotetores, porque contribuem para a redução do colesterol ruim e triglicérides, reduzem a pressão arterial e diminuem a agregação plaquetária, condição que pode favorecer a formação de trombos e prejudicar a circulação sanguínea.


Já os alimentos que devem ser evitados por pessoas com propensão a problemas cardíacos são aqueles que necessitam de acréscimo de sal e com teor elevado de sódio, como enlatados, frios e embutidos, queijos amarelos, carnes defumadas, salgadinhos e pratos prontos. "Além desses, o consumo de álcool, gorduras e açúcar também não é aconselhável pois eles podem gerar descontrole na pressão arterial, alteração no ritmo cardíaco, enrijecimento das artérias, problemas renais e obesidade", explica Cintya.

Ela também ensina alternativas para substituir o sal, utilizando de maneira correta ervas e temperos. "Utilizar vários temperos ao mesmo tempo pode mascarar o real sabor do prato e contribuir para a sensação de que o sal faz falta. É importante saber escolher e preparar. Por exemplo, o alho contém uma substância chamada alicina que é associada a uma melhor elasticidade dos vasos sanguíneos". Outra opção é utilizar o sal light que apresenta metade da quantidade de sódio comparado ao sal comum e possui maior quantidade de potássio, o que beneficia a redução da pressão alta. Contudo, ela alerta que o sal light deve ser ev itado por pacientes com problemas renais e que, como o poder de salgar é menor, necessita cuidado para não exagerar na quantidade.

Cintya também adverte quanto à facilidade das papilas gustativas se adaptarem aos alimentos salgados, resultando em uma demora de até três meses para se acostumar com uma dieta com o teor de sal reduzido. "Para estimular esse processo, em 2013, entrou em vigor uma determinação do Ministério da Saúde que solicita a redução de sódio nos alimentos processados no Brasil", finaliza a nutricionista.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
CoronaVac
Mais cinco centros no Brasil iniciam testes com vacina chinesa
05 AGO 2020 às 15h40
Neste sábado
Agendamento para vacina contra o sarampo em Londrina já está liberado
05 AGO 2020 às 15h15
Veja a lista
Mais Médicos tem 121 vagas para 81 municípios do Paraná
05 AGO 2020 às 12h58
Confira
UBS do jardim Santiago reabre após reforma
05 AGO 2020 às 10h45
Temporários
Brasil abre 21 mil leitos de UTI durante pandemia, mas oferta ainda é desigual
05 AGO 2020 às 10h33
Pandemia no Brasil
Contágio acelerado de Covid-19 completa 15 semanas no Brasil, indicam cálculos
05 AGO 2020 às 10h04
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados