24/11/20
PUBLICIDADE
Carla Benedetti
Carla Benedetti
26/08/2020 - 13:48
Imprimir Comunicar erro mais opções
(Foto: Reprodução/FreePik)
(Foto: Reprodução/FreePik)


Até 12.11.2019, ao se calcular um benefício previdenciário, utilizava-se as contribuições previdenciárias a partir de 07.1994 até um mês anterior à entrada do benefício, com o descarte de 20% das menores contribuições. Na maioria dos benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição, após realizado esta média, multiplicava-se esta média pelo fator previdenciário para atingir o valor do benefício, que é baseado na idade e tempo de contribuição do trabalhador, versus expectativa de vida do brasileiro Nas novas regras, uma grande mudança é que não há o descarte de 20% das menores contribuições, sendo, para tanto, utilizado 100% das contribuições. O que, obviamente, causa um prejuízo ao segurado.

Frisa-se, todavia, que muitas vezes a pessoa ainda possui direito adquirido na regra antiga, ou seja, completou todos os requisitos para a obtenção do benefício antes da mudança da lei. No entanto, em alguns casos, devido à incidência do fator previdenciário, e, consequentemente, com uma diminuição muito grande no valor do benefício previdenciário, o segurado resolve aguardar para requerer o benefício conforme a regra nova, em que existem várias regras de transição, mais especificamente 4 delas. Para cada regra de transição, faz-se necessário avaliar quando atingirá o direito à aposentadoria e qual o melhor momento de se requerer o benefício.

Nesse cenário, pós-reforma da previdência e com tantas regras de transição e diferentes requisitos e métodos de se calcular um benefício previdenciário, observa-se, atualmente, que ficou muito complexo para o segurado conseguir avaliar sozinho qual o melhor momento de pedir o benefício, pois há muitas variáveis envolvidas e em alguns casos, pode ser que se a pessoa esperar um pouco mais, terá direito a uma aposentadoria melhor.

Por outro lado, há situações em que não adianta esperar, ainda que o benefício atual seja um benefício muito menor do que teria direito no futuro, já que, observa-se que com todo o montante financeiro acumulado durante determinado período, talvez seja melhor receber um benefício com valor menor e muito tempo antes. Por isso a importância de se consultar um advogado especializado.
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Carla Benedetti
 
Um espaço de interação dedicado a tratar os temas mais relevantes relacionados à Previdência Social. Em pílulas do direito previdenciário você acompanhará dicas e poderá tirar suas dúvidas sobre aposentadorias, auxílios, pensões, dentre outros benefícios que os segurados possuem direito.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
 
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados