Pesquisar

Canais

Serviços

- pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Cuidado com a Mastite durante o desmame

22 abr 2021 às 15:10
Continua depois da publicidade

Oie, essa semana passei por algo muito constrangedor e dolorido. Estou pensando em desmamar após 2 anos de amamentação em livre demanda, me sinto cansada e percebo que o meu caçula não dorme tão bem como gostaria.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Durante a semana passada, em uma certa noite meu pequeno resolveu não acordar para mamar como acontecia nas noites anteriores e acordei com muita, mas muita dor na mama, meu leite havia empedrado. Fui para de baixo do chuveiro esgotar a mama, mas simplesmente não saia o leite. As dores só pioravam e foi então que eu decidi procurar ajuda médica. Como eu sabia que se ligasse para minha médica ela me encaminharia para o hospital, não hesitei, fui para o PS do hospital onde meu plano atende, lá eles tem um lactário. Mesmo sabendo que devemos evitar os hospitais nesse período de pandemia, não tive outra escolha a dor era insuportável.

Continua depois da publicidade


Cheguei ao hospital e na triagem a enfermeira não sabia como descrever o relato para encaminhar aos médicos responsáveis. Recebi a fitinha que indicava o tempo para atendimento, fui encaminhada para o setor da maternidade. O enfermeiro desce e me pergunta quantas semanas ou meses a senhora está? Eu super envergonhada penso rapidamente na resposta, mas sem dizer o que realmente estava acontecendo, digo olha não estou grávida, estou com dor. E me calo.
Já no setor da maternidade, vejo um entra e saí de bebezinhos lindos. Fico ali sentada naquela cadeira fria e com muita dor e lembrei que há exatos dois anos eu retornava para esse mesmo hospital onde meu bebê nasceu, eu estava com uma infecção generalizada (contarei outro dia), mas minhas emoções me trazem a tona o que vivi aqui. Chorei de dor, chorei de reviver, talvez naquele momento a dor pudesse ser menor.


Fui chamada pela enfermeira e fomos para a sala de lactação, lá lavei minhas mãos, a enfermeira perguntou a idade do meu bebê e começou a tortura. Me senti de certo modo invadida, era como se eu não pudesse estar naquele local só porque meu filho tem dois anos e não dois dias, como assim? A enfermeira que me atendeu tem experiência e lembrou de mim, de tudo que passei, começou com as massagens para esgotar o leite, tentou com a máquina extratora, manualmente e nada. Nada. Os ductos de leite estavam entupidos, não estava vermelha a região. As lágrimas escorriam, a vontade que eu tinha era de arrancar minha própria mama. A enfermeira então solicitou que eu aguardasse para ser atendida por um médico, só assim saberíamos como proceder.

Continua depois da publicidade


Sentei novamente naquele banco frio e tremendo de dor, não sabia o que fazer. Fui encaminhada para outra sala informada que deveria aguardar o médico, que já estava vindo me atender, mas recebo 6 residentes destes 2 eram mulheres. Me senti muito envergonhada, eu que nunca amamentei em público estava ali. Naquela situação e a tal médica nem me examinou apenas olhou de longe com os braços cruzados e disse para os residentes: "ah e vocês sabiam que uma mama infeccionada pode levar a necrose do tecido?" No meu caso não estava infeccionada, mas o leite parado pode sim infeccionar. Quero deixar meu alerta a você que é lactante cuide-se e caso tenha algum sintoma de dor nas mamas, vermelhidão ou não, sentir algum carocinho, febre ou cala frios, procure imediatamente auxílio médico.


E apesar desse meu desabafo continuo com a medicação em casa, contarei a você como esta acontecendo o desmame. Não desista da amamentação, porque só você que é mãe pode escolher a hora de parar.

Por Marjorie Ostrowski
Me siga no Intagram
Gostou compartilhe.
Beijos e até a próxima postagem.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade