Pesquisar

Canais

Serviços

- GettyImages
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Saúde mental

Procrastinação pode estar ligada à agressividade reprimida

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
18 jan 2022 às 15:26
Continua depois da publicidade

A procrastinação, o ato de adiar tarefas, compromissos e planos, é um impasse na vida de milhares de pessoas no mundo todo. Com as turbulências enfrentadas pela humanidade nos dois últimos anos, muitas delas se sentiram paralisadas, começaram a entrar em crise existencial e passaram a se perguntar com mais frequência sobre o sentido do que fazem no dia a dia.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Essa estagnação, no entanto, pode ser um bom sinal de que precisamos olhar para dores mais profundas, para problemas de relacionamento ou situações de raiva do passado, que nos impedem de prosperar e ter uma vida abundante.

Continua depois da publicidade


Para o psicanalista especialista em jogos de autoconhecimento, Nickson Gabriel, a procrastinação não é apenas uma característica de pessoas consideradas preguiçosas. Os “workaholics”, aqueles que se afogam em trabalho, também sofrem desse mal, muitas vezes para não encarar sentimentos de dor. “A estagnação se manifesta nas pessoas, principalmente, como retração do sentimento de raiva, feridas abertas que nos impedem de estar com o coração presente para agir naquilo que precisamos”, afirma Nickson Gabriel, fundador do Instituto O Jogo da Vida. 


Desmistificando a preguiça


A sociedade ainda condena muito a preguiça e mesmo a procrastinação. Mas, para superar essa dificuldade, o primeiro passo é desconstruir este preconceito.

Continua depois da publicidade


“É fundamental, primeiramente, entender que não é apenas preguiça, mas sim algo mais profundo, que precisa ser respeitado para que possa realmente ser transformado. É preciso ir além da culpa. Depois, estando consciente do tamanho do desafio, valorizar cada pequeno passo na direção daquilo que deve ser feito”, explicou Nickson Gabriel.


O especialista aproveita para dar um exemplo prático: “Coloque metas menores em direção ao que precisa fazer. Se precisa escrever um texto, comece com uma meta de apenas ligar o computador e abrir o arquivo de texto. Em seguida, coloque uma meta de escrever a primeira frase. Dê valor e comemore cada pequeno passo e logo o texto fluirá”.


Encarar o desafio pode nos colocar em contato com feridas emocionais e isso é o que muitas vezes nos paralisa. Desde o início da pandemia, Nickson vem atendendo dezenas de pessoas que se queixam de estagnação, de crise de identidade, de insatisação com o trabalho e medo da escassez. 

Para progredir, prosperar e ganhar dinheiro fazendo aquilo que gosta, as pessoas podem identificar as culpas que sentem e aceitar seus momentos de preguiça, encarar suas dores e reencontrar seu propósito de vida. 


“As pessoas tendem a ridicularizar a preguiça, mas elas se movimentarem no sentido de reconhecer o tamanho do desafio, confiar na capacidade de sentir, perceber suas emoções, dores, raiva e a incapacidade de lidar com a agressividade, elas podem fazer girar a roda da prosperidade” afirma Nickson. 

Segundo ele, diante da procrastinação, é importante ser mais humilde, aceitar as próprias limitações, ser amigo se si mesmo, ter calma consigo. Se existe dor, existe algo que precisa ser cuidado para, só depois, estabelecer metas melhores.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade