Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entenda!

Bancos fazem mutirão de negociação de dívidas até 15 de abril

Redação Bonde com Agência Brasil
11 abr 2024 às 13:00
- Marcello Casal Jr/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Pessoas com dívidas em atraso com instituições financeiras podem participar, até 15 de abril, da edição de 2024 do Mutirão de Negociação e de Orientação Financeira. 


A iniciativa é promovida todos os anos pelo BC (Banco Central), pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos), pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e pelos Procons de todo o país.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Podem ser negociados débitos em atraso sem bens dados em garantia. Entre as dívidas alvo do mutirão, estão aquelas relacionadas a cartão de crédito, cheque especial, empréstimo pessoal e demais modalidades de crédito contratadas em bancos e financeiras. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Pesquisa

Taxa de desemprego no Brasil fica em 7,9%; índice é o menor em 10 anos

Imagem de destaque
Placas 1 e 2 nesta sexta

Prazo para pagamento da última parcela do IPVA 2024 para placas 3 e 4 vence nesta segunda

Imagem de destaque
Aguarda homologação

Polishop pede recuperação judicial e declara R$ 352 milhões em dívidas

Imagem de destaque
Saiba mais

Restituição do Imposto de Renda 2024 tem nova ordem de prioridade


Dívidas com bens dados em garantia (como veículos, motocicletas e imóveis), dívidas prescritas e contratos com as parcelas em dia não podem ser renegociados.

Publicidade


Os cidadãos interessados em participar do mutirão podem pedir a renegociação com as instituições financeiras onde têm dívidas. A lista completa dos canais de atendimento está disponível na internet.


O devedor também pode pedir a renegociação por meio do portal Consumidor.gov.br ou pelos Procons que aderiram à iniciativa. Outras informações sobre o Mutirão de Negociação e Orientação Financeira estão disponíveis no Meu Bolso em Dia.

Publicidade


O Banco Central fornece dicas para que o cidadão se prepare melhor para a renegociação. Em primeiro lugar, o devedor deve consultar o Registrato, para saber quais são as suas dívidas em atraso. Em seguida, deve acessar as dicas da Febraban para planejar o orçamento doméstico e entender como a renegociação afetará a vida financeira.


Outra recomendação é acessar a plataforma Meu Bolso em Dia. A página fornece orientações e capacitação para que o cidadão continue a aprender a lidar com o dinheiro e melhorar a saúde financeira. O BC também oferece ações de educação financeira

Publicidade


Imagem
Embratur terá 80 vagas em primeiro concurso após virar agência
A Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo) fará seu primeiro concurso público desde que virou agência, em 2020


O BC esclarece que o mutirão não é recomendado para todos. As pessoas que preenchem os requisitos para negociar pela Faixa 1 do Programa Desenrola Brasil devem buscar renegociar suas dívidas por esse programa, que oferece condições mais vantajosas, como desconto médio de 83% do total da dívida, podendo chegar a 96%.


A Faixa 1 do Desenrola abrange dívidas de até R$ 5 mil para quem tem renda de até dois salários mínimos ou está inscrito no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) do Governo Federal. Mais informações podem ser obtidas na página oficial do Desenrola.


Os superendividados, conforme previsto na Lei 14.181/2021, têm direito à renegociação global e simultânea com todos os credores. Essa lei possibilita acordos mais adequados que a negociação individual com cada banco e a solução efetiva para o problema do superendividamento.


As pessoas em situação de superendividamento devem buscar ajuda especializada nos órgãos de proteção e defesa do consumidor. A plataforma Meu Bolso em Dia também dá orientações sobre o tema.


Imagem
Compra do imóvel usado com FGTS pode ter juros maiores e ficar mais cara
Financiar imóvel usado pela linha Pró-cotista (Programa Especial de Crédito Habitacional ao Cotista do FGTS) pode ficar mais caro para os compradores.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade